carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ranking põe Reino Unido entre países com mais medidas protecionistas

Rússia e Argentina estão no topo; China e EUA são os países mais afetados

Carla Miranda

28 de março de 2012 | 07h00

Que a Rússia, a Argentina, a China ou a Índia estejam no topo de um ranking dos países que mais tomaram medidas protecionistas desde a crise não causa surpresa.

No entanto, o Reino Unido, berço do liberalismo, aparece logo depois desses quatro em um levantamento feito pelo jornal francês “Le Monde” com dados da Global Trade Alert, uma organização com sede em Londres.

A Rússia adotou nada menos que 160 medidas para proteger sua economia desde a crise, segundo o levantamento. A Argentina, terceiro maior parceiro comercial do Brasil (atrás de Estados Unidos e China), já baixou 125 medidas protecionistas; o Reino Unido, 63.

Por outro lado, se a China está entre os que mais se protegeram depois da crise, é também o maior alvo de medidas desse tipo tomadas por outros países. Os Estados Unidos, quem nem aparecem no ranking dos mais protecionistas, foi o segundo mais atingido por medidas de terceiros.

Brasil

Um levantamento recente feito pelo Estadão mostrou que o governo brasileiro tem 40 medidas protecionistas já aplicadas ou em análise.

No entanto, não é possível fazer uma comparação direta entre os dois levantamentos (o do Estado e o do Monde) porque, nessa área, uma pequena mudança de metodologia faz uma diferença enorme. A começar pela definição do termo “medida protecionista”.

Por exemplo, um

, de novembro, colocava a União Europeia como número 1 de um ranking em número de medidas protecionistas. No entanto, o mesmo estudo classificava o grupo europeu em sexto quando o critério do levantamento era não o número de medidas, mas o de setores afetados.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: