As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lucro de empresas dos EUA deve-se a cortes, não vendas

Harley Davidson, por exemplo, triplicou ganhos após demitir mais de 2.000

Carla Miranda

26 de julho de 2010 | 16h47

O aumento do lucro que as empresas norte-americanas têm anunciado nos balanços do segundo trimestre deve-se mais ao corte de gastos do que às vendas de produtos, segundo uma reportagem do jornal The New York Times.

“Muitas empresas estão priorizando corte de gastos para manter o crescimento do lucro, mas os benefícios majoritariamente vão para os acionistas, e não para a economia, na medida em que os administradores mantêm o dinheiro parado ao invés de usá-lo em contratação de funcionários e na produção”, afirma o jornal.

A fabricante de motos Harley Davidson, por exemplo, anunciou no ano passado que cortaria entre 1.400 e 1.600 empregos até o final de 2011, além dos 2.000 já demitidos no ano passado. Com isso, a companhia triplicou seu lucro no segundo trimestre deste ano, para US$ 71 milhões.

Leia a reportagem no site do New York Times (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.