‘Rolling Stone’ com acusado de terrorismo na capa é boicotada por lojas nos Estados Unidos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Rolling Stone’ com acusado de terrorismo na capa é boicotada por lojas nos Estados Unidos

Redes de farmácias e de alimentos vetaram a nova revista em suas gôndolas

Gustavo Santos Ferreira

17 de julho de 2013 | 19h26

A nova capa da Rolling Stone trouxe Dzhokhar Tsarnaev, acusado de comandar o ataque terrorista da última Maratona de Boston – e o boicote de grandes redes revendedoras dos Estados Unidos.

“Era um garoto encantador, com um futuro brilhante. Mas ninguém viu a dor que ele estava escondendo ou o monstro que ele se tornaria”, diz a revista em sua nova versão.

As capas da Rolling Stone são geralmente reservadas para grandes ícones midiáticos. Pesou ainda contra a opção editorial por Tsarnaev a semelhança com famosa capa figurada por Jim Morrison, vocalista do conjunto The Doors.

‘Rolling Stone’. Tsarnaev e Morrison são comparados

A CVS, rede de farmácias, e a Tedeschi, de alimentos, vetaram a nova Rolling Stone em suas gôndolas – informa o Washington Post.

Ambas explicaram pelo Facebook os motivos:

“Sendo uma empresa com raízes profundas na Nova Inglaterra (região localizada no Nordeste dos Estados Unidos) e com forte presença em Boston, acreditamos que esta é a decisão certa, por respeito para com as vítimas do ataque e com seus entes queridos”, explicou a CVS.

Até às 19 horas, o post da CVS havia sido compartilhado quase 17 mil vezes e curtido por cerca de 43 mil internautas.

“A Tedeschi apoia a necessidade de compartilhar notícias com todos, mas não pode apoiar ações que servem para glorificar as ações do mal de ninguém. Isto posto, nós não venderemos a última edição da Rolling Stone. Música e terrorismo não se misturam!”, informou a revendedora de alimentos.

A empresa republicou em sua página a capa polêmica, mas com um traço vermelho por cima, em protesto.

Os editores da Rolling Stone emitiram comunicado oficial em resposta às diversas manifestações de desaprovação, repercutidas mais cedo pelo Radar Global:

“Nossos corações estão com as vítimas do bombardeio na Maratona de Boston e os nossos pensamentos estão sempre com eles e suas famílias. (…) O fato de Dzhokhar Tsarnaev ser jovem e da mesma faixa etária de como muitos de nossos leitores torna ainda mais importante para nós examinar a complexidade desta questão e ganhar uma compreensão mais completa de como uma tragédia como essa acontece.”

Em sua matéria, o Washington Post aproveita para alfinetar seu concorrente New York Times. O jornal também publicou a mesma foto em sua capa, feita pelo próprio Tsarnaev, em maio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.