coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

São Paulo tem 9º aluguel mais caro do mundo para escritórios

Pesquisa mostra, ainda, que a alta na cidade está entre as maiores

Carla Miranda

30 de agosto de 2012 | 15h01

Atualizado às 15h37

berrini_alex_silva_ae.JPG

O preço do aluguel de escritórios de primeira linha em São Paulo é o nono maior do mundo, segundo o ranking mais recente da consultoria americana Jones Lang LaSalle, publicado no site The Economist. A pesquisa abrange 90 grandes cidades do planeta.

Na capital paulista, o metro quadrado de um escritório “prime”, como diz a pesquisa, custa US$ 749 por ano. Em Londres, cidade que encabeça o ranking, imóvel similar sai por US$ 1.605 anuais.

Considerando a cotação atual do dólar, um espaço de 100 metros quadrados custaria R$ 12,8 mil mensais em São Paulo e R$ 27,4 mil em Londres.

Variação

São Paulo foi a cidade que registrou a quinta maior alta do mundo no preço do aluguel de escritórios de primeira linha (18,2%). No topo da lista está Jacarta, na Indonésia, onde o valor aumentou 41,1%. Em seguida, aparecem Pequim (40,7%), Perth (23,2%) e Cidade do México (19,7%).

Em Londres, os preços estão estacionados, assim como em várias outras cidades europeias (Amsterdã, Frankfurt, Munique).

Hong Kong, apesar de ainda estar cara, teve a segunda maior queda, de 12,4%, atrás apenas de Hanoi, onde o preço caiu 17,1%.

Abaixo, as 20 cidades que encabeçam a lista dos aluguéis de escritórios mais caros do mundo.

CIDADEALUGUEL*VARIAÇÃO (%)**
Londres1.6050,0
Hong Kong1.544-12,4
Moscou1.2000,0
Paris1.025-1,1
Tóquio1.0590,0
Pequim98040,7
Nova York7787,2
Xangai7637,8
São Paulo74918,2
Cingapura737-10,5
Mumbai6022,0
São Francisco55721,9
Frankfurt5010,0
Sydney46512,5
Toronto460-1,6
Dubai4390,0
Madri376-6,6
Cidade de México32219,7
* Preço do metro quadrado por ano, em dólares
** Segundo trimestre de 2012 em comparação com igual período de 2011

CORREÇÃO: São Paulo está em nono lugar no ranking, e não em sétimo, como afirmava incorretamente este post. O erro foi corrigido às 15h37.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: