As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Setor privado dos EUA volta a contratar empregados fixos

À notícia de corte de 24 mil vagas, opõe-se à de geração de 280 mil empregos

Carla Miranda

31 de março de 2010 | 13h20

Enquanto investidores reagem negativamente à divulgação da pesquisa do instituto ADP que mostrou corte de 23 mil empregos no setor privado dos Estados Unidos em março, um analista preferiu não seguir a manada e olhar para outros dados, mais otimistas.

Charles Biderman, presidente da empresa de pesquisa TrimTabs, enxerga que a economia norte-americana não apenas não teve todos esses cortes de emprego, como gerou 280 mil postos de trabalho em março. As afirmações foram feitas em reportagem do Wall Street Journal.

Seu levantamento, também divulgado nesta quarta-feira, é baseado em dados de depósitos diários de taxas de todos os empregados assalariados dos EUA. Os dados da ADP, diferentemente, mostram a variação inclusive dos empregos temporários, segundo Biderman. “O setor privado finalmente começou a acrescentar empregos”, conclui o pesquisador.

Leia a reportagem do Wall Street Journal (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.