As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sony Pictures pode sair da Espanha devido à pirataria

Presidente da empresa diz que mercado está à beira de se tornar inviável

Carla Miranda

31 de março de 2010 | 15h28

A Sony Pictures, um dos grandes grupos da indústria cinematográfica de Hollywood, considera a possibilidade de não atuar mais na Espanha devido à pirataria.

“As pessoas estão fazendo downloads de filmes em uma quantidade tão grande que a Espanha está à beira de não ser mais um mercado viável de entretenimento para nós”, disse ao jornal Los Angeles Times o presidente da empresa, Michael Lynton.

A reportagem diz que o caso da Sony não é isolado e pode ser seguido por outras empresas. A Apple já não vende mais filmes nem programas de televisão pelo iTunes na Espanha, como faz no Reino Unido e na França, por exemplo.

 “A Espanha está prestes a se tornar o segundo país em que a pirataria erodiu o que já foi um negócio robusto”, afirma o jornal. (O primeiro foi a Coreia do Sul.) De 2006 a 2008, o download ilegal de filmes na Espanha subiu de 132 milhões por ano para 350 milhões, segundo pesquisa da Media-Control GfK. Enquanto isso, as vendas de DVD caíram 30%.

O jornal espanhol El País, após a notícia do L.A. Times, perguntou a José Manuel Tourné, representante dos distribuidores de DVD na Espanha, o que significa uma empresa como a Sony deixar o país. “Em geral, quando uma companhia sai, busca outra que distribua seus produtos”. Mas ele acrescenta: “O mercado agora não é atrativo para ninguém”.

Leia a reportagem no site do Los Angeles Times (em inglês)

Leia repercussão da notícia no espanhol El País

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.