As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Steve Jobs ataca Adobe: ‘Flash não é mais necessário’

Presidente da Apple explica por que não permite o uso do aplicativo no iPhone

Carla Miranda

29 de abril de 2010 | 16h28

Atualizado às 17h32

steve_jobs_apple_ap_paul_sakuma_09092009.jpg
Jobs, em foto de 2009: Flash tem muitos ‘bugs’ (Paul Sakuma/AP)

O presidente da Apple, Steve Jobs, publicou nesta quinta-feira um artigo no site da empresa explicando por que não permite o uso de Flash (linguagem que produz imagens em movimento e programações complexas) nos aparelhos iPhone, iPod  e iPad.

NO LINK
 Adobe desiste do iPhone Apple x Adobe no Facebook

A conclusão de Jobs é direta: “A avalanche de canais midiáticos oferecendo seus conteúdos pelos aparelhos portáteis da Apple mostra que o Flash não é mais necessário para assistir a vídeos ou consumir qualquer tipo de conteúdo na web”. E continua: “Os 200 mil aplicativos disponíveis nas lojas App Store, da Apple, provam que o Flash não é necessário para dezenas de milhares de desenvolvedores que criam graficamente aplicativos complexos, inclusive jogos”.

RADAR ECONÔMICO NO TWITTER
Acompanhe: @radar_economia
http://twitter.com/radar_economia

O ensaio de Jobs teve o objetivo de tentar convencer o mercado e os clientes de que a decisão de não permitir o uso de Flash nos aparelhos da Apple não foi dirigida por motivo de negócios. “Na realidade. [a decisão] está baseada em questões de tecnologia”, afirmou Jobs.

Para o presidente da Apple, o Flash tem “bugs” (problemas) demais, gasta muita bateria e é feito pensando em computadores pessoais, não em aparelhos móveis como iPhone ou iPad.

Em resposta, o presidente da Adobe, Shantanu Narayen,deu uma entrevista ao site do Wall Street Journal e declarou que o artigo de Jobs é um “ataque extraordinário”. Para Narayen, a Apple está preocupada com a capacidade da Adobe de prover produtos que funcionam em diferentes plataformas, possibilitando ao consumidor usar o mesmo aplicativo em diferentes aparelhos.

“Nós [eu e Jobs] temos diferentes visões de mundo. Nossa visão [da Adobe] de mundo é a multi-plataforma”, afirmou Narayen ao Wall Street Journal.

Leia o ensaio de Jobs no site da Apple (em inglês)

Veja a entrevista de Narayen ao Wall Street Journal (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.