As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Taxa sobre ricos nos EUA renderia menos que a CPMF

Milionários gerariam US$ 20 bi aos cofres públicos; já imposto do cheque rendeu R$ 45 bi

Carla Miranda

30 de setembro de 2011 | 17h45

numero_do_dia_138_80.JPG

Número do dia: US$ 20 bilhões

É quanto o poder público dos EUA pode arrecadar com uma taxa sobre a população mais rica

Taxar os ricos nos país que mais tem bilionários não renderia tanto dinheiro quanto criar um imposto do cheque no Brasil.

A proposta do presidente Barack Obama de taxar as pessoas que ganham mais de US$ 1 milhão por ano acrescentaria US$ 20 bilhões anuais aos cofres públicos, segundo projeção do megainvestidor Warren Buffett, defensor da ideia.

A título de curiosidade, esse valor que os EUA podem levantar com o novo imposto é menor do que a arrecadação da extinta CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). O chamado “imposto do cheque” gerou, em seu último ano (2007), uma receita de R$ 45 bilhões, em valor atualizado, o que equivale a US$ 25 bilhões.

Ainda, esses US$ 20 bilhões equivalem a:

. 0,4% da receita total do poder público nos EUA prevista para 2012 (US$ 4,77 trilhões);

. 1,6% do déficit das contas públicas americanas previsto para 2011 (US$ 1,28 trilhão).

Os EUA têm hoje 412 bilionários na lista da revista “Forbes“, que elenca as pessoas mais ricas do mundo.

Veja mais posts da seção “Número do dia”

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.