coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tomate ameaça reeleição de Dilma, diz ‘FT’

nayarasampaio

15 de abril de 2013 | 09h19

Fernando Nakagawa, correspondente da Agência Estado

LONDRES – A fama da inflação do tomate atravessou o Oceano Atlântico. Na primeira página da edição desta segunda-feira do jornal britânico Financial Times, a inflação dos alimentos no Brasil é tema de uma reportagem que cita a fruta como “adversário formidável” na eleição presidencial em 2014. “Dilma Rousseff pode estar entre os presidentes mais populares do mundo, mas sua reeleição no próximo ano pode ser ameaçada por um adversário formidável: o humilde tomate”.

“O tomate é tão sensível no Brasil – em especial em São Paulo – como as cebolas na Índia, graças ao status de alimento básico em uma região com profundas raízes italianas”, diz o texto assinado por Joe Leahy, chefe da sucursal de São Paulo do FT.

A reportagem afirma que parte da subida de preços nas últimas semanas foi sazonal, mas observa que a alta é algo “sintomático” do aumento da inflação brasileira. “O mau tempo tem impulsionado o preço do tomate, que subiu cerca de três vezes, provocando protesto de donos de restaurantes em uma cidade conhecida por ter as melhores pizzas e massas do país. O tomate jogou um foco de luz sobre a inflação persistente”, diz o jornal.

A reportagem reconhece que analistas econômicos preveem que a inflação deve desacelerar até o fim do ano, mas Leahy diz que o tema continuará a ser um desafio para Dilma Rousseff “enquanto ela tenta fazer a economia avançar depois de ter crescido menos de 1% no ano passado”. “Ela deve muito de seu índice de popularidade de 78% à baixa taxa de desemprego, mas os choques de inflação irão prejudicar o sentido de bem-estar dos eleitores antes das eleições”, afirma o texto.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: