As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vale dobra preço do minério e encerra tradição de 50 anos

Junto com BHP Billiton, brasileira consegue alta de 90% a 100% no preço

Carla Miranda

30 de março de 2010 | 09h18

As mineradoras Vale e BHP Billiton chegaram a um acordo com grandes siderúrgicas asiáticas e conseguiram pôr fim ao sistema de negociação por “benchmark”, em que as empresas fornecedoras e compradoras acertavam apenas uma vez por ano o preço do minério de ferro, informa o Financial Times. Esse sistema de negociação funcionava desde o início dos anos 1960. Desta vez, o preço do minério de ferro foi acertado para o trimestre.

Negociando por um período menor, as siderúrgicas aceitaram uma alta recorde no preço do minério de ferro, a principal matéria-prima usada pelas fabricantes de aço. Elas vão pagar entre US$ 110 e US$ 120 por tonelada no próximo trimestre, o que representa um aumento de 90% a 100% no preço. No contrato anual de 2009/2010, a tonelada estava em US$ 60.

As mineradoras deram poucos detalhes sobre o novo tipo de negociação de preços. Disseram apenas, por meio de comunicado, que um “número significativo” de siderúrgicas asiáticas concordou com a mudança do sistema.

A Rio Tinto, outra mineradora global, ainda não assinou os contratos com as siderúrgicas asiáticas, mas analistas esperam que ela consiga seguir o mesmo caminho das concorrentes Vale e BHP Billiton. Também não está definido o preço das mineradoras globais com as siderúrgicas européias.

“O sistema de benchmark terminou. Não há volta para a precificação anual”, disse ao Financial Times um executivo diretamente envolvido nas negociações.

Leia a reportagem no site do Financial Times (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.