As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vale e mineradoras pedem preço recorde do minério

Empresas querem vender o produto a US$ 90 a tonelada, 50% mais caro que hoje

Carla Miranda

12 de fevereiro de 2010 | 10h49

A brasileira Vale e outras mineradoras globais iniciam as negociações do preço do minério de ferro a ser vendido para a siderúrgica japonesa Nippon Steel pedindo um preço recorde para a mercadoria, informa o Financial Times. Além da Vale, participam da negociação a Rio Tinto e a BHP Billiton.

As empresas querem vender o produto a US$ 90 a tonelada, ou mais caro, uma alta de 50% sobre os US$ 60 acertados nas negociações 2009/2010. Na China, as negociações com a siderúrgica local Baosteel ainda não começaram.

As negociações têm o objetivo de definir um preço anual do minério de ferro, cujo contrato é fechado em 1º de abril. Além dessa forma de comercialização, existe o mercado à vista, em que o produto é vendido atualmente a US$ 120 (o dobro do preço acertado para o ano atual).

“Por que diabos nós deveríamos concordar com algo diferente do preço à vista?”, pergunta retoricamente ao FT um executivo, argumentando que as mineradoras deveriam vender no mercado à vista em vez de acertar um preço anual.

O preço anual do minério está difícil de ser definido neste ano porque o aumento da demanda será um choque para os produtores de aço (que compram minério de ferro). Há poucas semanas, relata o FT, as siderúrgicas indicavam que os preços poderiam não crescer nos contratos anuais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.