Arquitetura autoral é aposta de incorporadoras para se diferenciar na crise
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Arquitetura autoral é aposta de incorporadoras para se diferenciar na crise

Construtoras lançam empreendimentos de alto padrão assinados por escritórios renomados, que valorizam urbanismo e sustentabilidade

Luiza Leão

16 de junho de 2019 | 06h10

ESPECIAL PARA O ESTADO

A arquitetura assinada tem sido aposta de algumas das principais construtoras em São Paulo para remar contra a crise que ainda afeta o setor. Em lançamentos mais recentes, empresas como You, Nortis, Even e Vitacon prometem exclusividade do projeto, modernidade, valorização urbanística, com uma grife assegurando que todas essas promessas sejam cumpridas e que o design reine.

Cerca de três anos atrás, a incorporadora You entendeu que era a hora de oferecer produtos que atendessem às expectativas do seu público, mais exigente e sofisticado. De lá para cá, foram cinco imóveis lançados, sendo quatro deles residenciais e o outro mixed use, que contempla uma torre residencial, outra de consultórios, uma torre de hotel com bandeira Radisson e uma clínica do grupo Albert Einstein.

O projeto inovador do empreendimento batizado de Core Pinheiros, com previsão de ser inaugurado no primeiro semestre de 2022, é do escritório de arquitetura Aflalo/Gasperini, que está em atividade há mais de 50 anos e é responsável por obras públicas como a Biblioteca de São Paulo, no Parque da Juventude (antigo Carandiru).

“Os nossos clientes valorizam cada detalhe, não se preocupam somente com o preço”, sintetiza Alessandra Calefo, diretora de incorporações da empresa. Segundo Calefo, ainda neste ano devem ser lançados mais dois imóveis, ambos do escritório Perkins + Will.

Projeção do empreendimento POD, da Nortis, em Pinheiros. Foto: Projeção digital

É também do Aflalo/Gasperini o Fasano Itaim, prédio da Even que está em fase de finalização neste ano e vai conectar unidades residenciais e para hotelaria, com decoração de Marcio Kogan, voltado para o público de alto padrão.

Atrair essa clientela exigente também está no foco da Nortis, conta Carlos Terepins, presidente da incorporadora. No ano passado, a empresa lançou o POD, empreendimento em Pinheiros assinado pelo FGMF (que deve ser inaugurado em 2021), e o Nord, nos Jardins, cujo projeto é do Spol.

“Os projetos são bonitos, diferentes entre si e podem trazer uma coleção sequencial de cartões postais para a cidade”, conta. Com esses dois lançamentos, a Nortis somará ao seu portfólio sete edifícios residenciais assinados por escritórios de arquitetura como Basiches, Spol, Una, Aflalo/Gasperini e Andrade Morettin.

Este último projetou o Elevo Moema, edifício que está em fase de construção e vai ser entregue em 2021. O escritório também é responsável pela arquitetura do Instituto Moreira Salles (IMS) da Avenida Paulista.

Para a farmacêutica Ana Lúcia Constantino Cunha, de 38 anos, foi o design contemporâneo e o conceito de sustentabilidade do Elevo Moema que pesou na hora da compra do imóvel. “O apartamento vem com janelas do chão ao teto e vidros que ajudam a manter a temperatura do ambiente. Eu e meu marido não temos conhecimento técnico sobre arquitetura, mas o imóvel chamou a atenção.”

Prédio Une, da incorporadora Idea!Zarvos na Vila Madalena, com projeto de Gui Mattos. Foto: Acervo Idea!Zarvos

Urbanismo

A implementação de um projeto exclusivo tem seu preço. Segundo Otavio Zarvos, que há 15 anos trabalha com residenciais autorais (leia mais abaixo), o custo é ao menos 5% mais alto para as construtoras, mas o ganho com a valorização do imóvel deve ser levado em conta na compra.

É também o que defende Alexandre Frankel, da Vitacon, que entregou 54 prédios do tipo nos últimos nove anos, assinados por escritórios como Athié Wohnrat, Basiches e Perkins + Will. “A parte estética, somada a plantas mais bem aproveitadas, gera maior lucratividade para quem decide investir no imóvel.”

Além disso, a cidade também sai ganhando, apontam urbanistas. “Hoje, é mais do que um estilo ter um bom arquiteto. É uma atenção à cidade, à construção e ao ambiente”, diz a professora de arquitetura e urbanismo da Faap Marina Grinover. Segundo ela, o resgate de projetos mais bem pensados, que dialogam com projetos icônicos de outros períodos, pode ajudar na promoção da capital.

Professor do Mackenzie, José Augusto Fernandes Aly aponta que algumas construtoras vendem a expressão “arquitetura de autor” de olho no valor agregado. “Mas, ainda que seja uma grife para a empresa, as intervenções são benéficas para a cidade, uma vez que essas obras conseguem usar o bairro como argumento e, do ponto de vista do urbanismo, oferecer valorização estética da localidade.”

Projeto autoral está na gênese da Idea!Zarvos

Fundada em 2005, a incorporadora Idea!Zarvos investiu na arquitetura assinada desde o seu surgimento, sendo umas das primeiras de São Paulo a apostar nos projetos autorais desde sua gênese – e a manter-se fiel a eles. No currículo, a empresa soma mais de 50 entregas com projetos carimbados por escritórios como Triptyque, Isay Weinfeld, Nitsche, Gui Mattos, Jacobsen, Andrade Morettin, Brasil Arquitetura e FGMF.

Projeto Une da incorporadora Idea!Zarvos. Foto: Acervo Idea!Zarvos

Para Otávio Zarvos, sócio-proprietário da incorporadora, a assinatura de um projeto com design inovador é um atrativo para o cliente. Contudo, defende que outra assinatura pese na hora de comprar o imóvel. “Além da assinatura de um escritório, o cliente também compra pela construtora. Para ele, vale a pena apostar em um prédio bem produzido, mas também em uma marca que oferece uma segurança, uma chancela”, diz.

Arquitetos renomados assinam prédios residenciais icônicos na cidade há décadas, ainda que não necessariamente atrelados à proposta de uma incorporadora. Em 1966, Oscar Niemeyer carimbava seu nome na inauguração do Copan. Anos antes, em 1958, havia sido a vez de David Libeskind cravar seu nome no projeto do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista. Já de 1956 é o Edifício Planalto, de Artacho Jurado, empreendimento de uso misto assim como os anteriores.

Tendências: