Compartilhamento é alternativa para prédios com unidades sem vaga
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Compartilhamento é alternativa para prédios com unidades sem vaga

Veículos de uso comum são entregues, sem custo, por incorporadoras para uso de futuros moradores

blogs

09 Setembro 2018 | 07h14

Loadd. Lançamento da Mac prevê bicicletário equipado. Foto: Imagem perspectiva/Mac

Jéssica Díez Corrêa, especial para O Estado

Baseadas no conceito de compartilhamento, incorporadoras e construtoras que possuem empreendimentos em que mesclam unidades com e sem vaga de garagem colocam à disposição do condomínio veículos para uso comum dos moradores.

A Construtora Trisul fornece aos condôminos bicicletas totalmente equipadas, que ficam no bicicletário. “Em todos os empreendimentos, independentemente de ser linha econômica ou alto padrão, nós privilegiamos muito esta área. Há uma bancada de manutenção e espaços de divisão para cada morador guardar a sua bike”, afirma Lucas Araújo, superintendente da empresa.

Item ‘de série’. As bicicletas estão entre os itens de entrega do prédio – como o equipamento da academia, por exemplo – e não possuem custo extra. Araújo, no entanto, adverte: “Nós as fornecemos como uma opção, mas no momento da assembleia são os moradores que decidem se querem usá-las ou não”.

Nivia de Souza, compradora de uma unidade sem vaga na Mooca, apoia a iniciativa, mas diz que usaria o veículo com cautela. “Andar de bicicleta no trânsito de São Paulo é um pouco perigoso. Eu teria de enfrentar meus medos.” Para Elisabete Martinez, que adquiriu imóvel em empreendimento próximo ao metrô São Judas, a solução é válida, porém apenas para pequenos percursos.

Assim como a Trisul, a Mac Construtora também oferece bicicletas compartilhadas nos empreendimentos que entrega. “Tentamos trazer itens que dão praticidade ao dia a dia”, comenta o gerente comercial da empresa, Ricardo Pajero.

Automóvel. A incorporadora Vitacon dispõe aos moradores outro serviço além das bicicletas: o carro compartilhado.

Funciona da seguinte maneira: o automóvel é de uma empresa parceira terceirizada e fica disponível 24 horas por dia na garagem do prédio. Por intermédio de uma plataforma de agendamento online, o condômino aluga o veículo. O pagamento é por hora de uso e quilômetro rodado.

“Cada vez mais as pessoas preferem usar o compartilhado. Primeiro, porque existe alguém que cuida do carro para eles e não é preciso se preocupar com manutenção. Segundo, pelo custo de investimento em um automóvel”, afirma Alexandre Lafer Frankel, presidente da incorporadora.

“Já estamos prevendo mais carros compartilhados para os próximos empreendimentos”, acrescenta.