Após a Copa, mercado imobiliário de SP volta a se movimentar

Após a Copa, mercado imobiliário de SP volta a se movimentar

Maior parte dos lançamentos ocorrerá a partir de agosto

Claudio Marques

14 de julho de 2014 | 18h25

GUSTAVO COLTRI

Com o fim da Copa do Mundo no País, que roubou a atenção dos brasileiros, o segundo semestre finalmente parece começar para o mercado imobiliário. “Precisamos nos recuperar. Esse ano, tivemos carnaval em março, a Copa em junho e as férias de julho. Teremos, então, praticamente quatro meses de atividades porque em outubro teremos eleições”, confessa a diretora geral de atendimento da imobiliária Lopes em São Paulo, Mirella Parpinelle.

A maior parte das incorporadoras prepara lançamentos a partir do mês de agosto, mas alguns produtos já chegam ao mercado em julho. A PDG Realty, por exemplo, colocará à venda dois projetos na Avenida na Raimundo Pereira de Magalhães, na região de Pirituba. Um deles, batizado de Prix, terá apartamentos de 43 m² e se enquadra nos requisitos do programa federal Minha Casa, Minha Vida. O outro, chamado de Maxi, terá unidades de dois dormitórios e 53 m² de área útil.

Em agosto, as ações de divulgação devem ganhar terreno e os lançamentos também. A incorporadora Setin pretende lançar na região central da capital três empreendimentos de unidades compactas, identificados com a marca Setin Downtown: República, Genebra e São Luís. “O ano, para nós começa no dia 14 de julho”, diz o presidente da companhia, Antonio Setin.

Setin Downtown República. Edifício terá como diferencial mirante para a região central da capital (Imagem: Divulgação)

O empreendimento na República, com estande aberto ao público, levará sofisticação à região da praça que lhe dá nome. O projeto terá, além de um painel do artista Claudio Tozzi, um mirante para a vizinhança e os mimos como fechadura biométrica para as portas dos apartamentos. O edifício será composto de studios e imóveis de um dormitório, com metragens variando dos   27 m² aos 49 m².

A incorporadora tem na carteira mais três projetos para região central e outro no Tatuapé, que devem chegar ao mercado no último trimestre do ano se o ambiente de vendas permitir. Além disso, a Setin prepara o lançamento de um grande complexo em Cotia, nas proximidades da Rodovia Raposo Tavares. Segundo o presidente da empresa, o terreno, com 20 mil m², receberá dois hotéis, um residencial com studios, uma torre com imóveis de um e de dois dormitórios e um mall.

Também com uma proposta mista, a incorporadora Yuny deve iniciar no mês que vem a divulgação do complexo United, na região da Barra Funda – o lançamento está previsto para o último trimestre, segundo fontes do mercado paulistano. O empreendimento, com acesso por duas ruas, terá uma torre comercial com 360 conjuntos e metragens variando entre 30 m² e 60 m² e outros dois prédios residenciais, que, juntos, reunirão 368 apartamentos. De acordo com o gerente comercial da empresa, Fabricio Costa, as unidades, de dois dormitórios e 70 m² ou de três dormitórios e 100 m², tem como público usuários finais. “Acho que a metragem (maior do que a média atual do mercado imobiliário da capital) vai ser um diferencial.”

VEJA TAMBÉM: Venda de imóveis novos em SP está aquém das expectativas, diz setor

Em parceria com a Stan, a empresa ainda vai lançar no futuro próximo a última fase do complexo Habitarte, na zona sul. Mas, segundo Costa, são limitadas as chances de novidades nesse projeto em 2014. Outros grandes empreendimentos, no entanto, vêm com novidades.

Mirella, da Lopes, diz que o Jardim das Perdizes, parceria da Tecnisa com a PDG, pode ter novos produtos em comercialização no quarto trimestre. Ainda este ano, ela também cita possibilidade de venda da terceira fase do complexo Praça São Paulo, da OR – Odebrecht Realizações Imobiliárias, com apartamentos amplos de alto padrão.

Já o vice-presidente comercial da imobiliária Abyara Brasil Brokers, Bruno Vivanco, fala em uma nova fase do Caminhos da Lapa, projeto da Brookfield na zona oeste, pode ser lançado em setembro. Outro destaque, segundo ele, é o Parque Global, que terá o lançamento de mais uma torre residencial e de um produto do espaço mixed-use, ainda em definição. “E teremos o último lote residencial do Espaço Cerâmica, em São Caetano do Sul, no ABC”, diz.

Parque Global. Mais um residencial e primeira fase do complexo multiuso estão nos planos (Imagem: Divugação)

A incorporadora Helbor destaca também um empreendimento fora da capital. Em São Bernardo do Campo, ela lançará em setembro, em parceria com a companhia Toledo Ferrari, o Helbor Family Garden, projeto terá três torres, 356 unidades de três ou de quatro dormitórios e metragens de até 151 m². Ao todo, as cidades da Grande SP devem receber cinco projetos. “E a previsão é lançar até sete empreendimentos na cidade de São Paulo”, diz o diretor de vendas, Marcelo Bonanata.

O principal projeto da Eztec fica mais longe. Este mês, a empresa iniciará a comercialização do Residencial Le Premier, em Campos do Jordão. Inspirado em edificações clássicas da arquitetura europeia, esse será, segundo a empresa, o primeiro um flat de luxo da cidade.

Amplos. Os imóveis grandes devem ganhar força neste semestre. “Houve uma lacuna de lançamentos nos últimos cinco anos para o segmento de três e quatro dormitórios”, diz Mirella Parpinelle, da Lopes. “E agora estamos trabalhando com foco no usuário final.”

Segundo ela, a Even deve lançar no terceiro trimestre dois projetos na zona sul. Quem também virá com produtos desse tipo é a incorporadora Kallas. A empresa vai lançar em meados de agosto o High Park Aclimação, com 22 unidades de 245 m2 e uma cobertura duplex. “A localização é o principal diferencial do projeto. Todos os apartamentos terão vista privilegiada para o Parque da Aclimação”, diz o diretor de incorporação, Thiago Kallas.

Tudo o que sabemos sobre:

lançamentosmercado imobiliáriosão paulo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: