É fundamental pintar o imóvel antes de vender
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É fundamental pintar o imóvel antes de vender

EDILAINE FELIX

18 Outubro 2015 | 07h56

SAO PAULO Imóveis  Legenda:  Parede índigo blue Suvinil   Crédito: Suvinil

É unanimidade entre os agentes do mercado imobiliário que é necessário pintar um imóvel para vendê-lo. De acordo com o gerente de atendimento ao consumidor e serviços ao mercado da Suvinil, Henrique Ramos, o imóvel pode ficar renovado a partir de uma pintura.

Ele recomenda que antes de pintar é preciso fazer um diagnóstico do ambiente para entender e identificar se a superfície precisa de reparos. “Depois, calcule a quantidade de tinta necessária, escolha a cor e a tecnologia conforme o local. Por fim, aplique a tinta”, diz.

Na opinião do diretor da D2F Engenharia, Daniel Fazenda Freire, a pintura é essencial, pois tem custo baixo e causa uma sensação grande de conforto e limpeza. “A primeira impressão é sempre a que fica.”

E o próprio dono do imóvel pode fazer a pintura se quiser. “O consumidor pode optar pelo simulador de ambientes. Não precisa ser especialista. Ele pode, por meio do computador (no site da Suvinil), fazer combinações de cores para os diferentes espaços da casa”, diz Ramos. Segundo ele, também é possível calcular a quantidade de tinta necessária para o espaço.

Planejamento. Para Freire, ao reformar um imóvel para venda ou locação é preciso ter planejamento. “É preciso verificar se as partes elétrica e hidráulica, o sistema de aquecimento e o gás estão funcionando para saber se será preciso trocar ou não”, recomenda o executivo.

Para o engenheiro, se o piso e o revestimento estiverem em bom estado não vale a pena trocar. Se o imóvel tem um piso diferente, e o comprador não gostar, vale a pena negociar um desconto. “É impossível ter uma regra, um padrão, não é possível saber o certo e errado quando o assunto é gosto.”

O mesmo padrão ele aplica a louças e armários: “Não use o seu gosto achando que é o gosto do comprador”. Na avaliação de Ramos, limpeza e organização, ventilação e iluminação são itens fundamentais.

‘É importante contratar um especialista’

Para o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo (CAU-SP), Gilberto Belleza, o primeiro passo antes de realizar uma reforma é chamar um profissional capacitado para avaliar o imóvel e analisar se é possível fazer essa intervenção ou não.

Pesquisa realizada pelo CAU-Brasil e pelo Instituto Datafolha, a maioria das reformas ou construções particulares é feita sem a assistência de um profissional especializado.

Segundo o estudo, realizado com 2.419 pessoas em todo o Brasil, 54% da população economicamente ativa já construiu ou reformou imóvel residencial ou comercial. Desse grupo, 85,40% fizeram o serviço por conta própria ou com pedreiros e mestres de obras, amigos e parentes. Apenas 14,60% contrataram arquitetos ou engenheiros.

“É possível investir pouco e valorizar o imóvel. No entanto, se não tiver um profissional para cuidar da obra, ele pode ter prejuízo”, diz Belleza.

VEJA MAIS: Reformas valorizam imóvel na hora da comercialização

O presidente do CAU lembra que antes de iniciar qualquer procedimento é preciso considerar a situação do imóvel em relação à estrutura e ao acabamento para saber que tipo de intervenção será necessária.

“O profissional descobrirá a procedência do problema. Quebrar uma parede, por exemplo, pode mexer em toda a estrutura da obra, por isso a importância de chamar um especialista.”