Empreendimentos de grife alimentam segmento de luxo em São Paulo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Empreendimentos de grife alimentam segmento de luxo em São Paulo

Lançamentos contam com detalhes exclusivos, do acabamento ao mobiliário das áreas comuns; metro quadrado pode ultrapassar R$ 30 mil

Julliana Martins

03 de novembro de 2019 | 06h00

Especial para o Estado

Na alta ou na baixa do mercado imobiliário, se tem um nicho que ultrapassa essas oscilações sem muito abalo é o setor do luxo. Com foco em um público que procura exclusividade e supera a classe do alto padrão, construtoras apostam em projetos autorais assinados por grifes de design e arquitetura, que fazem o metro quadrado dos apartamentos valer mais de R$ 30 mil – caso de parceria entre Cyrela e o estúdio inglês YOO, e da incorporadora JHSF com o escritório Triptyque.

Localização nobre, tecnologia, segurança e áreas privativas que chegam a mais de 400 metros quadrados. Tais exigências fazem parte das preocupações de quem vai adquirir um imóvel de alto padrão, mas existe um público disposto a pagar mais por singularidades como acabamentos, mobiliário do lobby e até mesmo as obras de arte da decoração.

Fazem parte desse grupo seleto 259 mil milionários brasileiros – grupo que cresceu 19,35% de 2018 para cá e que deve chegar a 319 mil até 2024, segundo pesquisa feita pelo Credit Suisse Research Institute sobre a riqueza no mundo, divulgada em outubro.

De alto poder aquisitivo, a classe compradora desses imóveis ainda é limitada, mas suficiente para manter o nicho em alta. De acordo com o professor do MBA de Gestão de Negócios Imobiliários e da Construção Civil da FGV Henrique Penteado, o setor sofre menos que os de médio e alto padrões. “A gente viu lançamentos desse tipo mesmo durante os anos de recessão. É um mercado mais resistente, mas também muito peculiar às grandes capitais, onde há público com capacidade de absorvê-lo.”

O comprador pode ser definido como uma pessoa que quer estar na vanguarda das tendências, diz Penteado. A ênfase na exclusividade e na privacidade são motivos pelos quais os empreendimentos de luxo costumam conter poucos apartamentos, de 50 a 100 por torre, e amplos, que ocupam um andar inteiro.

“Esse morador não quer encontrar e dividir espaços com um vizinho. Quer ser único, ter privacidade e localização privilegiada. Ele preza por características singulares, seja nos aspectos técnicos ou físicos, como janelas e maçanetas”, explica.

Novidades na Faria Lima

Atendendo a esses quesitos, a Cyrela entrega neste ano o empreendimento One Sixty, em parceria com o escritório YOO, localizado na Av. Brigadeiro Faria Lima, uma das mais caras de São Paulo. São 55 unidades, que têm de 270 m² a 340 m², com exceção das duas coberturas duplex, de até 592 m².

Vista da piscina do One Sixty, empreendimento da Cyrela em parceria com o escritório inglês YOO. Foto: Ana Mello

O metro quadrado mais barato do prédio custa R$ 30 mil. As assinaturas trazem nomes como Philippe Starck e Tom Dixon e estão em detalhes como arandelas Torch Baccarat, papéis de parede, duchas e até espreguiçadeiras na piscina. A piscina, vale ressaltar, conta com três pool houses: cabines privativas à beira da piscina equipadas com ar condicionado e televisão para que o morador aproveite a paisagem com privacidade.

Dos três lançamentos de luxo da Cyrela nos últimos anos, o Heritage Pininfarina é o mais ousado, com apartamentos que chegam a quase 1.000 m². Nesse empreendimento, os imóveis são vendidos por valores entre R$ 18 milhões e R$ 32 milhões, sendo o metro quadrado avaliado em, no mínimo, R$ 32 mil.

De acordo com o presidente da Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC), José Roberto Graiche Júnior, o alto valor se explica também pelo esgotamento de possibilidades de construção nas zonas mais nobres de São Paulo. Além disso, ele também elenca uma maior procura por imóveis como forma de investimento.

Zona sul terá novos prédios de luxo

A região do Morumbi foi a escolhida pela EZTEC para a construção do seu empreendimento de luxo, que soma unidades de 134 m² a 366 m². O metro quadrado é avaliado em R$ 16 mil.

Com arquitetura e design do escritório holandês UNSTUDIO, paisagismo assinado por Sérgio Santana e projeto de interiores da III Interior Design By Triptyque Architecture, o EZ Parque da Cidade terá duas torres.

“O alto padrão não se resume ao tamanho dos empreendimentos, mas está atrelado às soluções e regiões. Clientes mais exigentes aceitam pagar um preço mais alto do que a média da região para fazer parte de algo melhor, seja por meio do padrão de design ou de tecnologia”, diz o gerente comercial da EZTEC, Tellio Totaro.

No mesmo bairro, a incorporadora JHSF vai lançar o empreendimento Fasano Cidade Jardim, com previsão de entrega para 2022. O projeto de arquitetura também conta com o nome do escritório franco-brasileiro Triptyque Architecture.

Serão 92 unidades residenciais, que variam de 156 m² a 350 m², divididas em dois modelos: o Fasano Private Residences, com sistema de propriedade tradicional e um valor médio de R$ 35 mil por metro quadrado, e o Fasano Residence Club. Este apostará na multipropriedade, isto é, no compartilhamento do imóvel com outros proprietários, com tempo de uso proporcional ao investimento de cada um.

Dentro de uma área de mais de 6.000 metros quadrados, as residências estarão conectadas ao Fasano Hotel, ao Fasano Club e ao shopping Cidade Jardim.

Tendências: