Lançamentos imobiliários em São Paulo recuam em maio

Lançamentos imobiliários em São Paulo recuam em maio

Claudio Marques

01 de julho de 2013 | 12h51

GUSTAVO COLTRI

Depois de surpreender no primeiro quadrimestre, o mercado de lançamentos em São Paulo puxou o freio em maio. De acordo com a Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), a capital recebeu 2.372 unidades no mês, o que representa alta de 0,81% em relação ao mesmo mês de 2012.

A diferença na comparação entre os anos é de exatos 19 imóveis em favor 2013, bem menos do que o intervalo registrado em março, de 1.267 unidades, quando o mercado demonstrou o pico de aquecimento. Frente a abril, o resultado de maio representa recuo de 66,64 pontos porcentuais.

A desaceleração do quinto mês de 2013 também fica evidente na comparação com os meses anteriores. São Paulo recebeu 2.845 novos imóveis em março e 2.716 em abril, quantidades respectivamente 19,9% e 14,5% superiores aos últimos dados da Embraesp.

O presidente do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), Claudio Bernardes, considera esperado o resultado de maio. “Em um momento, o ritmo iria diminuir, porque o que ocorreu no início do ano foi inesperado. Talvez tenhamos tido um represamento de projetos no fim do ano passado em função de problemas com o licenciamento eletrônico de projetos na Prefeitura”, explica.

O coordenador do curso de pós-graduação em negócios imobiliários da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), Ricardo Gonçalves, também atribui à grande quantidade de projetos represados o surto de prosperidade do início do ano e, mesmo diante dos resultados mais tímidos de maio, evita previsões. “Eu esperaria até, pelo menos, agosto para ver o movimento do mercado.”

Perfil.  Foram lançados 18 empreendimentos no mês de maio, somando ao todo 23 torres. Não houve condomínios de casas colocados à venda na cidade no período analisado. Os novos apartamentos têm, em média, 59,86 metros quadrados de área útil, e o metro quadrado ficou avaliado em R$ 8.822.

A liderança no mês ficou com os lançamentos de até um dormitório – categoria que inclui também os studios e lofts. Eles concentraram 43,89% de toda a quantidade de imóveis na planta ofertada no município, superando os tradicionalmente líderes apartamentos de dois dormitórios, com 812 unidades.

Um dos lançamentos compactos foi o Cosmopolitan High Garden, da Mac Construtora e Incorporadora, com residenciais do tipo studio, um ou dois dormitórios partindo de 33,4 metros quadrados.
Os empreendimentos de três dormitórios somaram 423 imóveis, e os de quatro dormitórios, apenas 96 – todos no lançamento Evolve Morumbi, edifício da Marques Construtora na região do Morumbi, com unidades de 122 metros quadrados.

De acordo com o diretor comercial da empresa, Vitor Marques, o prédio deveria ter sido lançado no fim do ano passado, mas teve a comercialização adiada à espera de boas condições de mercado. “O mercado ainda estava retraído no fim de 2012. E acho que acertamos”, conta. Até a última quinta-feira, a empresa havia comercializado 58 das 96 unidades do empreendimento, desempenho considerado bom pela companhia, tendo em vista o alto padrão do projeto imobiliário.

Não houve, em maio, grande concentração de lançamentos em algum bairro paulistano. A zona de valor que mais se destacou na cidade foi a Pompeia, com apenas três empreendimentos. Completam a lista de maio o Brooklin, o Butantã, o Cambuci, Campo Belo, Casa Verde, Centro, Consolação, Itaquera, Jabaquara, Lapa, Morumbi, Santa Cecília e Tatuapé.

A incorporadora Trisul apostou em um residencial com unidades de dois e de três dormitórios na Casa Verde e metragens partidos dos 65 m². Um dos pontos fortes do empreendimento, segundo o diretor comercial e de marketing da companhia, Ricardo Stella, é o oferecimento de duas vagas de garagem para os apartamentos de três dormitórios. “A demanda existe, mas ela está cada vez mais seletiva. O cliente pensa muito mais antes de comprar. Ele está tomando uma decisão mais lenta, mas ele compra”, afirma.

Grande SP. Na região metropolitana, o número total de unidades residenciais lançadas em maio caiu 5,91% na comparação com o mesmo mês de 2012. Elas passaram de 4.044 no ano passado para 3.805 este ano. O metro quadrado médio lançado no mês ficou avaliado em R$ 7.905. E, com metragem média de 55,27 m², o valor total médio das unidades foi de R$ 436,9 mil.

A capital representou 62,34% da quantidade de imóveis ofertada na Grande São Paulo. As cidades que também receberam empreendimentos foram Diadema, Guarulhos, Osasco, Santo André e Taboão da Serra, de acordo com a Embraesp.

O destaque entre as vizinhas de São Paulo foi para Santo André, com três lançamentos. Um deles, o Bela Vista Residencial, da Akylas Patrimonial, oferece apartamentos de três dormitórios, com 90,05 metros quadrados de área privativa.

Considerando apenas os imóveis de fora da cidade de São Paulo, os lançamentos de três dormitórios foram os mais populares de maio, com 552 unidades. A segunda colocação ficou com os residenciais de dois dormitórios, com 497, e a terceira posição com os de até um dormitório, com 384 propriedades. Não houve lançamentos com quatro ou mais dormitórios.

VEJA TAMBÉM

Novos imóveis na capital aumentam 35% no acumulado do ano 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.