Lançamentos têm boa procura e animam mercado
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lançamentos têm boa procura e animam mercado

Com menos oferta em 2015, região tinha demanda reprimida, segundo incorporadores, que trazem diferenciais em obras ao lado do metrô

Claudio Marques

20 de agosto de 2016 | 20h00

Depois da forte desaceleração nos últimos dois anos, em meio à economia fraca e à crise política, as construtoras e incorporadoras parecem ter deixado para trás o pior momento e começam a retomar lançamentos em regiões mais valorizadas. Com metro quadrado a R$ 11,8 mil, em média, a zona oeste de São Paulo foi afetada pela crise. Neste ano, porém, as empresas investiram em diferenciais que vão desde a concepção da planta até serviços agregados, como a área de lazer e acabamento, e conseguiram obter bons resultados.

Das 44 unidades lançadas em março do Vista Pompeia, da REM Construtora, 31 foram vendidas. Com um preço médio de R$ 9,5 mil por metro quadrado, os apartamentos com três dormitórios medem 152 m², têm três vagas e depósito.

“Ainda há muito dinheiro no mercado, o que falta é coragem”, afirma o diretor de incorporação da REM, Rodrigo Mauro. “Se o cliente vê oportunidade, acaba comprando.”
Outros dois apartamentos entregues pela REM no início do ano, o Verone Perdizes e o Perdizes Parque, tiveram apenas três distratos juntos.

sp2_blog

(Foto: Tiago Queiroz/Estadão)

“Não podemos reclamar da crise, porque temos um estoque baixo”, declara Mauro, ao comentar que a região é carente de lançamentos. “Fazendo um produto bem feito, com preço justo, vende”, afirma.

Absorção. Outro destaque foi o Place Madalena, da Trisul. Em dois meses de lançamento, foi comercializada metade das unidades de um dormitório (47 m²) e de dois dormitórios (66 m²). O preço médio é de R$ 11.800/m². “Temos 50% do prédio vendido e uma absorção muito grande de moradores tanto de Perdizes quanto da Vila Madalena e Pompeia”, afirma coordenador de marketing e inteligência de mercado da Trisul, Lucas Araújo.

Para atrair os clientes, a empresa apostou em novas tecnologias e áreas de lazer funcionais, que barateiam a taxa de condomínio, com reúso de água nas áreas comuns e medidor individualizado.

Lei da oferta. Para o presidente da Brasil Brokers São Paulo, José Roberto Federighi, com uma farta oferta de comércio e serviço, esses bairros estão entre os mais procurados. “Há demanda”, argumenta, citando como exemplo o Vista Pompeia. “É um produto que fazia tempo que não era lançado na região.” Também destaca o Place Madalena, a 100 metros do metrô, “muito bem localizado”.

A You Inc tem novidades na zona oeste. Situado na Rua Cardeal Arcoverde, o You Pinheiros tem apartamentos de dois e três dormitórios, com 51, 58 e 69 m². Lançado em dezembro último, tem preço médio é de R$ 11 mil/m². Já o You Estação Madalena, lançado em maio deste ano, possui apartamentos de dois e três dormitórios, com área de 56 e 67 m².

“A zona oeste tem ótima aceitação e atrai um público bem diversificado, de solteiros, divorciados e jovens casais, a idosos que precisam de um lugar menor e mais seguro”, afirma o diretor comercial da You Inc, Felipe Coelho. “Produtos que são lançados com projeto, localização e preço certos têm bom desempenho de venda.”

Previsto para ser entregue em abril de 2017, o You Barra SP, na Barra Funda, conta com apartamentos de dois e três dormitórios, com 62 e 48 m².

Preços. Com poucos lançamentos em 2015, o estoque se estabilizou e não faz tanta pressão sobre o preço dos lançamentos, segundo Araújo, da Trisul. Para ele, essa interferência depende tanto da qualificação do estoque quanto dos diferenciais do lançamento. “Voltamos nossos lançamentos para produtos com conceito e demanda reprimida”, diz. “Não sentimos tanto os efeitos dos preços dos estoques.” O sucesso do Place Madalena, segundo ele, é exemplo.

A pressão pode acontecer com plantas de andar baixo ou face sul, sem sol. “Para os lançamentos que não conseguem uma boa largada de vendas, esta pressão ocorre porque os incorporadores precisam baixar os preços para deixá-los competitivos”, afirma Coelho, da You Inc.

(Por Larissa Féria, especial para O Estado de S. Paulo)

 

Tudo o que sabemos sobre:

são paulo

Tendências: