Moderno e com operação mais barata
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Moderno e com operação mais barata

Edifício EZ Towers, corporativo da Ezetc, mescla design diferenciado e preservação da natureza ao reduzir gastos com água e eletricidade

Claudio Marques

01 Setembro 2016 | 11h52

Edifícios foram projetados para atender às regras sustentáveis do Green Building Council - Foto de Marcelo Paoli / Divulgação / Estec

Edifícios foram projetados para atender às regras sustentáveis do Green Building Council – Foto de Marcelo Paoli / Divulgação / Estec

Com uma torre já entregue e outra prevista para ser concluída neste ano, o empreendimento EZ Towers, da incorporadora Eztec, foi projetado para atender os protocolos exigidos pela organização americana Green Building Council para certificação Leed (Leadership in Energy and Environmental Design) e venceu o prêmio Master Imobiliário para empreendimento comercial.

Com redução de 14% no consumo de energia, 40% no de água, elevadores com frenagem regenerativa (geram energia elétrica a cada parada), redutor de vazão de água nas torneiras, bacias sanitárias de duplo acionamento e sistemas de coleta e reserva de água de chuva para irrigação do jardim, o edifício conquistou o selo Gold.

A certificação Leed, que se iniciou na concepção do projeto e foi finalizada ao término da obra, foi um grande desafio para a empresa”, comenta Ernesto Zarzur, fundador e presidente do Conselho de Administração da Eztec. De acordo com o empresário, práticas sustentáveis nortearam todo o processo construtivo.

“Tivemos um controle rígido da poluição e dos resíduos gerados pela obra”, afirma. “Demos prioridade à utilização de materiais regionais com altos índices de componentes reciclados e ao uso de madeira certificada”, acrescenta.

O EZ Towers é um conjunto de escritórios com 94 mil m² de área locável, composto por duas torres com 26 pavimentos cada , três subsolos, cinco sobressolos e 2.856 vagas de estacionamento.

O empreendimento está localizado na região da Avenida Chucri Zaidan, novo polo de negócios de São Paulo na região sul da cidade e que foi beneficiada pela Operação Urbana Água Espraiada. Com assinatura do arquiteto Silvio Iamamura, o projeto teve como um dos principais desafios a fachada, repleta de curvas positivas e negativas, fazendo com que cada pavimento tenha uma geometria diferente.

Entregue em 2014, o primeiro edifício foi comercializado integralmente pela empresa São Carlos Empreendimentos e Participações. A segunda torre permanece em estoque, com preço médio de R$ 15 mil o metro quadrado para venda e R$ 100/m² para locação.

Arrojo. “Podemos destacar o arrojo de suas formas, o design dos seus lobbies e os cuidados com a preservação do meio ambiente. Somam-se a isso a decoração de interiores e o paisagismo, que contribuem para o empreendimento se constituir em novo marco na paisagem urbana da cidade de São Paulo”, diz o voto do júri do Master.

Além do Leed Gold, o empreendimento também recebeu o selo Guia de Rodas Platinum de Acessibilidade, depois de visitas técnicas conduzidas por arquitetos especialistas em acessibilidade, acompanhados por pessoas com dificuldade de locomoção.

Um dos principais diferenciais do EZ Towers são os 43 elevadores interligados ao sistema do controle de acesso, ou seja, quando o usuário passa pela catraca com seu cartão de acesso, o elevador já é designado e aparece na tela da catraca qual cabine deve ser utilizada. São 30 elevadores sociais, dois de emergência, oito de garagens, um para a sala de reuniões e dois na cobertura.

Em razão da grande quantidade de elevadores, com as paradas e altura das torres, os elevadores foram um desafio, que exigiu um planejamento minucioso”, afirma Zarzur.

Automação. O empreendimento ainda conta com automação completa, controlada por meio do BMS (Building Management System). Com o sistema, é possível fazer toda a supervisão e controle do condomínio – como elevadores, iluminação das áreas comuns, sistema de ar-condicionado, abertura e fechamento de portas e prevenção e combate a incêndio.

Composta por dois geradores a gás natural de 2.000 kVA e um a diesel de 1.500 kVA, uma usina de geração de energia foi instalada para garantir que o condomínio permaneça operando durante os períodos de interrupções da concessionária local de eletricidade.

“Levando em consideração o know how adquirido para desenvolver e rentabilizar projetos com esta característica, temos a intenção de desenvolver outros empreendimentos nesse mesmo segmento”, diz Zarzur.

Mais conteúdo sobre:

Prêmio Master Imobiliário