A zona leste dos sonhos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A zona leste dos sonhos

Preço médio do m² no local passou de R$ 3.978 nos últimos quinze anos para R$ 7.636 de janeiro a julho deste ano

Claudio Marques

23 de agosto de 2014 | 16h10

 

Nos últimos 15 anos – de julho de 1999 a julho de 2014 – a cidade de São Paulo recebeu 706.939 unidades residenciais, ao preço médio do metro quadrado de R$ 3.739,03.

Desse total, 19.882 unidades colocadas à venda estavam no Tatuapé, segundo a Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). Os lançamentos realizados nesse período foram comercializados ao preço médio de R$ 3.978,01 o metro quadrado.

Separados por tipologia, de 1999 até 2014 foram lançados no Tatuapé 1.972 unidades de um dormitório, 5.401 de dois, 6.677 de três quartos e 5.830 de quatro dormitórios. A metragem média desses imóveis foi de 102,05 metros quadrados.

No ano de 2014 – de janeiro a julho – enquanto a cidade recebeu 20.061 unidades, com preço médio do metro quadrado em R$ 7.631, o Tatuapé colocou à venda 826 unidades residenciais, com metro quadrado avaliado em R$ 7.425.

O tamanho dos imóveis também mudou de 15 anos para cá na região do Tatuapé. Enquanto a metragem média dos desse período ficou em 102 metros quadrados, os imóveis comercializados este ano têm 73,69 metros quadrados.

No entanto, o comprimento médio dos imóveis no Tatuapé é maior do que a média da cidade de São Paulo no ano de 2014. Na cidade, a metragem média é de 67,35 m² e no bairro da zona leste a média atinge 73,69 m².

Futuro. “É a região mais populosa da capital e, sem dúvida, com grande potencial de crescimento”, diz o diretor de vendas da Helbor, Marcelo Bonanata. A incorporadora tem no bairro empreendimentos família, com dois e três dormitórios, metragem média de 100 metros quadrados e valor médio do m² entre R$ 7 mil a R$ 8 mil.

Bonanata ressalta algumas particularidades da região como, por exemplo, os bairros do Tatuapé e do Jardim Anália Franco, que ainda conservam características de uma típica cidade do interior, ao mesmo tempo em que contam com a vibração e o desenvolvimento de um polo regional.

Tendências: