Tudo para deixar o condomínio seguro

Para garantir áreas de lazer e equipamentos em condições de uso, prevenção e manutenção são fundamentais em um conjunto

EDILAINE FELIX

13 de janeiro de 2015 | 10h00

Síndico profissional responsável por oito condomínios em São Paulo – desde empreendimentos de uma torre e 12 unidades até aqueles no estilo clube, com diversos blocos e ampla área comum e de lazer –, Carlos Theodoro Martins, de 39 anos, confere constantemente todos os itens que considera necessários para deixar o empreendimento seguro para moradores e funcionários. São eles: controle de entrada e saída, manutenção de bombas, piscinas, portões, áreas de lazer, elétrica e hidráulica, elevadores e caixa d’água.

Para ele, o cadastro de moradores, funcionários e visitantes é o item principal quando se trata de segurança patrimonial. Segundo Martins, o registro – controles de acesso de veículos e pedestres, além das cercas e câmeras –, é fundamental para saber e reconhecer quem entrou e saiu do condomínio.

“O controle eletrônico alivia a carga do trabalho do porteiro, que tem de receber pessoas e mercadorias, atender o interfone, entre outras tarefas”, diz.

Segundo Martins, equipamentos como piscina, portões e playground devem ser vistoriados diariamente pelo síndico ou porteiro. Para ele, esse é o momento de conferir o funcionamento e identificar se há peças soltas e rachaduras.
Ademais, o condomínio mantém contratos de manutenção com prestadoras especializadas. “No planejamento, coloco todas as manutenções necessárias para o ano, as preventivas e obrigatórias, além da segurança patrimonial para apresentar na assembleia ordinária.”

Para que todos os condomínios administrados estejam com a segurança em dia, Martins realiza cotações com empresas prestadoras de serviços. Os valores variam de acordo com o empreendimento e o tempo de contrato.

Adequado. Independentemente do uso, todos os equipamentos do prédio devem estar 100% seguros. “Prevenção e manutenção são essenciais para o condomínio ficar eficiente e atrativo para os moradores”, diz.

O presidente da Associação dos Síndicos dos Condomínios Comerciais e Residenciais do Estado de São Paulo (Assosindicos) e síndico profissional, Renato Tichauer, destaca três itens fundamentais para que o condomínio seja seguro: segurança patrimonial, manutenção e áreas de lazer.

“A segurança patrimonial exige a escolha de uma empresa idônea, se for terceirizada. Se for própria, os funcionários devem ser treinados e fazer cursos de reciclagem. Para ambas, a baixa rotatividade de profissionais é importante.”
No caso de manutenção, ele ressalta a importância da prevenção e de firmar contratos com os prestadores. “A parte contratual é essencial, qualquer serviço deve ser acordado para ter respaldo judicial.”

O diretor da Manager Condomínios, Marcelo Mahtuk, lembra que um prédio seguro deve estar coberto também por apólices de seguro. “É obrigatório fazer seguro contra incêndios e o edifício pode buscar outras coberturas de acordo com as necessidades do condomínio.”