As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Autor americano fala de pirataria de seu e-book

GLAUCIMARA BARALDI

22 de fevereiro de 2011 | 17h25

Nada de discurso moralista ou debate sobre o assunto.

David Carnoy escreveu nesta semana um curioso artigo no CNET sobre a aceleração da pirataria nos e-books, dando como exemplo, seu próprio livro Knife Music, que custa US$ 4, mas pode ser baixado gratuitamente pelos sites 2.500 Retail Quality E-books (iPod, iPad, Nook e Sony Reader) e 2.500 Retail Quality Ebook for Kindle, ambos do Pirate Bay.

“Tive a estranha reação de estar consternado e estranhamente honrado que alguém tenha selecionado meu livro para vender sem a proteção de direitos autorais (copy-protection) e incluir como parte de uma coleção de e-books de qualidade, muitos deles de autores muito bons”, diz o autor.

Ele também não diz perder muita coisa “fico com 50% dos US$ 4. Ou seja, se deixasse de vender 200 livros, perderia meros US$ 100”, embora encare que isso possa virar um problema e tanto para grandes autores.

Mas o que mais assustou o escritor, que também é editor executivo da CBS Interactive, foi a facilidade do download dos 2.500 livros eletrônicos – 3,4GB em questão de horas. Ou seja, muito mais rápido que filmes ou música.

E a aceleração da pirataria que, segundo ele, cresce no mesmo nível em que novos títulos são publicados em formato digital.

O rapaz coloca até que a indústria dos livros não perde tanto quanto filmes e músicas, que são sempre mais populares, e se questiona: quem lê tanto livro assim?

O artigo inteiro, em Inglês, pode ser lido aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.