finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

BlackBerry PlayBook chega ao Brasil a partir de R$ 1.299

Nayara Fraga

19 de outubro de 2011 | 17h42

BlackBerry_PlayBook.jpg

Atualizado às 20h13

A Research In Motion (RIM) anunciou a chegada de seu tablet BlackBerry PlayBook ao Brasil nesta quarta-feira, 19. O aparelho tem tela de 7 polegadas, peso de 425 gramas, processador Dual Core de 1 GHz e duas câmeras  (a frontal tem 3 megapixels e a traseira, 5 megapixels).  O preço varia de acordo com a capacidade de armazenamento: R$ 1.299 para o de 16GB, R$ 1.599 para o de 32GB e R$ 1.949 para o de 64GB. Os valores têm desconto de R$ 350, oferta de lançamento.


TV Estadão: Fabricante do BlackBerry lança tablet no Brasil

O modelo atual do PlayBook tem somente conexão Wi-Fi. Ele pode se conectar a smartphones que permitem “tethering”, função em que o aparelho funciona como um modem sem fio conectado à rede do celular.

Durante o evento que apresentou o tablet, em São Paulo, empresas brasileiras apresentaram aplicativos criados para o PlayBook. Entre eles estão o do Estado, que permite a leitura do jornal impresso no aparelho; das revistas Exame, Época e Caras; do serviço de música do Terra, Sonora; do Placar Uol; e do banco Bradesco.

O Estado de S. Paulo também anunciou no evento que fechou parceria com a RIM. Quem comprar o PlayBook no varejo recebe seis meses de assinatura digital grátis. O PlayBook estará à venda nas seguintes lojas: Americanas.com, Fnac, Livraria Saraiva, Shoptime e Submarino.

Outros aplicativos criados para o PlayBook são o do Facebook e o Surf Vote, no qual usuários votam nas ondas dos campeonatos mundiais de surfe antes dos juízes oficias. “A marca BlackBerry é geralmente associada a negócios. Mas, agora, nós estamos em tudo”, disse o gerente sênior de alianças para a América Latina da RIM, Angel Aldana.

América Latina

O PlayBook é vendido nos cinco continentes. Na América Latina, o tablet alcança também Venezuela, Chile, Colômbia, Peru, Argentina e, agora, Brasil. O diretor-geral da RIM no Brasil, Peter Gould, afirmou no evento que o País é “um mercado extremamente importante” para a companhia. A RIM tem 37% de participação na América Latina no segmento de smartphones.

Sistema operacional

Na terça-feira, a RIM anunciou a criação do sistema operacional BBX, cujo objetivo é aprimorar a comunicação entre o PlayBook e os celulares BlackBerry — mas ele ainda não está disponível. O tablet apresentado hoje no Brasil vem com o sistema QNX. Ele poderá ser atualizado para a versão BBX no futuro.

Essa medida deve melhorar também a integração dos aplicativos feitos para o BlackBerry OS, sistema do smartphone, e do QNX, do tablet. Hoje, os softwares criados para o telefone não funcionam no PlayBook e vice-versa.

Competição

Lançado em abril de 2011, o PlayBook chega a um mercado dominado pela Apple, com seu iPad, e com concorrentes fortes, como Samsung, Motorola e a Amazon, cujo tablet Kindle Fire pode alcançar até 5 milhões de unidades vendidas neste ano, segundo analistas. A varejista online venderá seu tablet a partir de US$ 199.

Questionado sobre a concorrência pelo Radar Tecnológico, Angel Aldana diz que a RIM vê com bons olhos o tema da competitividade. “A Amazon vai ser um jogador importante, porque tem preço bom e conteúdo conectado aos serviços da empresa”. Mas, segundo ele, “são mercados diferentes”. O público-alvo inicial da PlayBook seriam os 70 milhões de usuários de BlackBerry no mundo, comunidade acostumada a usar o principal produto da RIM.

Aldana lembra ainda que os tablets estão “em fase embrionária”. “Não sabemos como se comportará esse mercado nos próximos anos. Veja os netbooks”, disse o executivo, em referência à adesão descrescente de netbooks.

Tudo o que sabemos sobre:

BlackberryBrasillançamentoPlaybook

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: