As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bluetooth x iPhone: falha na conexão

Nayara Fraga

20 de junho de 2012 | 16h23

:: RadarTec Traduz::

bluetooth_1.jpg

Muitos usuários de iPhone e iPad reclamam que não conseguem transferir arquivos via bluetooth, uma ferramenta de comunicação padrão em muitos dispositivos eletrônicos. “Já tentei compartilhar contatos e arquivos de um iPhone 4S para um iPad 2 várias vezes e nunca dá certo”, diz um usuário em um fórum de discussões no próprio site da Apple.

O que acontece?

O RadarTec Traduz, seção deste blog que esclarece dúvidas relacionadas ao mundo da tecnologia, tenta desvendar esse mistério. Depois de conversar com especialistas e colher depoimentos de pessoas que testaram o recurso, a resposta mais curta e direta para quem busca ansiosamente uma explicação é: o bluetooth presente em iPhones e iPads é limitado.

Para fones de ouvido sem fio, incluindo os que não são da marca Apple, a comunicação geralmente funciona. Mas, para enviar arquivos, o procedimento é realmente mais complicado. Os aparelhos, um do lado do outro, com o bluetooth ativado, nem se veem. É como se a busca pelos dispositivos mais próximos não funcionasse. Isso é um erro?

Não. Essa é uma política da Apple, segundo o gerente de operações do Instituto Eldorado em Brasília, Danilo Angelo. O especialista explica que a companhia fundada por Steve Jobs (1955-2011) bloqueia propositalmente o compartilhamento de qualquer arquivo por meio do bluetooth porque isso vai contra seus interesses comerciais.

“A Apple optou por construir uma plataforma amigável para proteção de direitos autorais, que impede a pirataria”, diz Angelo. “Se você tivesse condições de comprar uma música ou um vídeo na Apple Store e passar para outros facilmente via bluetooth, isso iria contra os interesses da empresa.”

Ele conta que o próprio sistema operacional (no caso da Apple, o chamado iOS) direciona os arquivos baixados para um seção protegida.

A limitação do bluetooth, no entanto, traz a vantagem de um ambiente mais seguro. O aparelho não será encontrado por outros. Portanto, não há risco de o usuário aceitar um arquivo indesejado, por exemplo. E há aplicativos existentes na App Store, desenvolvidos por terceiros, que permitem o compartilhamento de certos arquivos sem causar exposição de dados sensíveis ou violação de direitos autorais, explica Angelo. Um deles é o Compartilhamento de Foto.

Procurada para comentar o assunto, a assessoria de imprensa da Apple apenas enviou o endereço da página do seu site que fala sobre bluetooth.

Android 
No ambiente do Android, sistema operacional do Google, a transferência de arquivos via bluetooth com outros aparelhos é mais simples. Os smartphones ou tablets costumam se ver, quando o recurso está ativado, e conseguem enviar qualquer tipo de documento ou imagem.

Isso ocorre porque o Google optou por abrir sua plataforma, estratégia que ajudou a companhia a ganhar uma fatia significativa do mercado para enfrentar a Apple. O Android é usado por fabricantes diferentes (como Motorola, Samsung, Sony Ericsson, HTC) e pode ser customizado. Um smartphone da Motorola pode ser diferente de um da Samsung, mesmo que o Android seja o sistema de ambos. Além disso, o próprio usuário pode fazer suas modificações no sistema.

Esse ecossistema mais aberto, oposto da Apple, também tem suas vantagens e desvantagens. De um lado está, por exemplo, a liberdade para personalizar o sistema, a possibilidade de baixar outras lojas de aplicativos além da oficial do Google (Google Play), a comunicação entre outros aparelhos, o uso do dispositivo como o usuário quer. De outro, está a ausência de um controle centralizado. Baixar aplicativos maliciosos, por exemplo, é um perigo real no Android.

Eventualmente, haverá quem quebre as proteções impostas pela Apple (fazer jailbreak, no termo em inglês). Mas essa costuma ser uma tarefa para hackers.

Caso você não seja um deles, e esteja bravo com o fato de o bluetooth de seu iPhone ou iPad não funcionar como gostaria, procure na App Store por aplicativos que permitam o envio de arquivos para outros aparelhos, como o mencionado acima. Mas fica a dica: seja qual for o aplicativo, é pouco provável que dê certo transferir uma música ou vídeo comprado na Apple Store para o dispositivo de outra pessoa.

Já testou algum aplicativo para compartilhar arquivos via iPhone ou iPad? Conseguiu enviar arquivos sem o menor problema? Conte para nós sua experiência.

Tem alguma sugestão para o próximo RadarTec Traduz? Mande e-mail para nayara.fraga(arroba)grupoestado(ponto)com(ponto)br.


VEJA TAMBÉM

3G mais rápido ainda é para poucos

Tudo o que sabemos sobre:

ApplebluetoothiPadiPhone

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.