#Hashtags chegam ao Facebook
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

#Hashtags chegam ao Facebook

Mariana Congo

12 de junho de 2013 | 16h02

Os rumores que surgiram em março, de que o Facebook iria permitir #hashtags clicáveis em sua timeline, se confirmaram nesta quarta-feira, 12.

As hashtags começaram a funcionar hoje no Facebook, seguindo outras redes sociais que usam o recurso há mais tempo, como o Instagram, Twitter, Tumblr e Pinterest.

O recurso está disponível primeiro somente para 1% dos usuários (dentre aqueles que usam o Facebook em inglês). Ao longo das próximas semanas, as hashtags irão começar a funcionar para todos.

Recursos

Ao clicar na hashtag, é possível ver um feed com todo o conteúdo compartilhado por outros usuários sobre aquele assunto. Mas só poderá ser visualizado o que foi postado pelo amigos ou por pessoas que têm perfil público.

As hashtags de publicações do Instagram republicadas no Facebook também serão clicáveis.

E o recurso funciona também para fazer buscas na barra de pesquisas.

Conversas públicas

O Facebook destaca que, diariamente, milhões de usuários compartilham na rede suas opiniões sobre o que está acontecendo no mundo. Durante um episódio recente da série televisiva Game of Thrones, por exemplo, o programa recebeu mais de 1,5 milhão de menções no Facebook. Segundo a empresa, isso representa uma parcela significativa dos 5,2 milhões de pessoas que assistiram ao seriado.

“As hashtags são apenas o primeiro passo para ajudar as pessoas a descobrirem o que os outros estão dizendo sobre um tema específico e participarem de conversas públicas”, diz a empresa.

O que são?

As hashtags identificam o conteúdo e permitem ao usuário visualizar tudo o que está sendo dito sobre um mesmo assunto. A palavra ou frase é precedida do símbolo “#”. Por exemplo: #copadasconfederações. Mais que um recurso para organizar informações, a hashtag funciona também como uma forma de expressão criativa dos usuários. O recurso foi popularizado no Twitter há cinco anos.

VEJA TAMBÉM

Governo altera cronograma de desligamento da TV analógica

CEOs do Google e do Facebook negam conhecer programa de monitoramento nos EUA

(Imagem: Reprodução/Facebook)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.