As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Instagram volta atrás e diz que novas regras foram mal interpretadas

nayarasampaio

19 de dezembro de 2012 | 11h56

Mariana Congo

Depois de irritar seus usuários com o anúncio de alterações na política de privacidade e nos termos de uso, o cofundador do Instagram, Kevin Systrom, publicou no blog da rede social um comunicado em que diz que as novidades foram mal interpretadas e que a rede está ouvindo as sugestões e reclamações recebidas.

A principal polêmica foi sobre a mudança que permitiria a venda das fotos dos usuários sem qualquer consulta ou pagamento ao autor.

No comunicado, Systrom diz claramente que as fotos postadas no Instagram não serão vendidas sem consentimento dos usuários e não serão usadas em anúncios. “Foi nosso erro a linguagem estar confusa”, afirma.

O cofundador lamentou a confusão e disse que documentos legais podem ser facilmente mal interpretados.

 

Imagem: Reprodução/Instagram

Anunciantes

O comunicado reforça que o Instagram nasceu para ser um negócio e, logo, precisa ser rentável. A empresa – que foi comprada pelo Facebook neste ano – está estudando formas inovadoras de incluir anúncios em sua plataforma, sem atrapalhar a experiência dos usuários.

Privacidade

O Instagram reforçou, no texto publicado, que os usuários continuarão a ter o direito de propriedade sobre suas fotos. Além disso, a escolha entre ter um perfil público ou privado permanece.

Janeiro

As novas regras do Instagram passariam a valer em 16 de janeiro de 2013, mas o comunicado postado na noite de ontem diz aos usuários que aguardem novidades sobre o assunto, sem detalhar se a data será mantida. A política de privacidade e os termos de uso do Instagram serão alterados para evitar confusão. O anúncio será em breve.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.