As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Levar a internet para a TV continua a ser missão do Google

Nayara Fraga

26 de agosto de 2011 | 19h47

googleTV.jpg

“Fim da briga por controle remoto”. Android ou iPhone o substitui na GoogleTV

O gigante de buscas está dando provas de que não vai desistir de entrar no mercado de televisão. Nesta sexta-feira, 26, o presidente do conselho de administração do Google, Eric Schmidt, mencionou em uma palestra dirigida a profissionais de TV britânicos, no festival anual do setor, que o Google TV será lançado na Europa em 2012, com o Reino Unido entre suas prioridades.

Já disponível nos Estados Unidos (e pouco popular), o Google TV é um serviço que leva a internet para a televisão. Ele oferece ao usuário, entre outros recursos, a possibilidade de navegar na web e acessar aplicativos pela televisão usando um smartphone como controle remoto.

Mas a proposta não ganhou de fato o gosto do consumidor americano. O preço alto para adquirir o conversor e a dificuldade para usar o serviço seriam algumas das críticas.

Ameaça
Schmidt afirmou no evento que o Google TV não oferece ameaça às emissoras. “Quando foi lançado nos Estados Unidos, algumas pessoas temeram que nosso objetivo era o de competir com emissoras e produtores de conteúdo. Na verdade, nossa intenção é o oposto.” Ele diz que, assim como o Android, a ideia é oferecer uma plataforma aberta para a próxima geração de TV evoluir.

Algumas das opções constadas na Google TV, no entanto, já são oferecidas por outras empresas. A AppleTV e os videogames Wii, da Nintendo, Xbox, da Microsoft, e PlayStation, da Sony são alguns deles.

Motorola
A compra da Motorola Mobility pelo Google seria outra evidência de que a gigante de buscas quer emplacar seu negócio no segmento de televisão. A Motorola é a principal fabricante de aparelhos de conversão para TV a cabo dos Estados Unidos, os quais representam 30% da receita da empresa. A aquisição, anunciada em 15 de agosto, gerou reflexões sobre a tentativa de diminuir a participação da Apple no mercado de smartphones e tablets.

———————
Veja também
———————

LINK: Samsung negocia acordo com Google TV

LINK: Emissoras dos EUA bloqueiam o Google TV

LINK: O primeiro conversor do Google TV

LINK: Google TV enfrenta rejeição de emissoras

LINK: Aliança Google-Motorola incomoda indústria da TV

Tudo o que sabemos sobre:

Eric SchmidtEuropaGoogle TVReino Unido

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.