Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para fundador do Napster, iTunes é ultrapassado

Nayara Fraga

25 de maio de 2011 | 18h22

sean_parker_gonzalo_fuentes_reuters.jpg

Ao discursar hoje no e-G8, fórum que reúne em Paris os principais representantes de empresas de internet, o fundador do falecido Napster, Sean Parker, referiu-se ao iTunes como um “velho modelo” de reprodução e compra de música, informa o Financial Times.

Investidor do Spotify, site que convenceu 1 milhão de pessoas a pagar por música na Europa, ele afirmou acreditar numa transformação da indústria musical em que catálogos antigos das gravadoras serão extremamente valiosos. Para Parker, o modelo do iTunes de vender uma quantidade grande de músicas, e aquelas que estão nos “top hits” (as mais tocadas), seria inadequado. “São os catálogos antigos que guiam o consumo.”

Parker também foi questionado no encontro sobre a mudança do seu perfil no Facebook, no qual ele diz dedicar sua carreira a consertar o estrago que fez com o Napster, sistema de compartilhamento criado em 1999 e extinto em 2001.  O empresário atribuiu o novo perfil, feito depois de ser representado por Justin Timberlake no filme A Rede Social, ao comportamento da mídia, que teria feita uma “caricatura” sua.

Parker participou do início da trajetória do Facebook e hoje, além de investir no Spotify, é sócio da empresa capital de risco Founders Fund. Saiba mais sobre ele aqui.

Tudo o que sabemos sobre:

e-G8NapsterSean ParkerSpotify

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.