‘Se gostou, curte’: Facebook vai filtrar postagens repetidas e com cara de spam
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Se gostou, curte’: Facebook vai filtrar postagens repetidas e com cara de spam

Mariana Congo

11 de abril de 2014 | 13h19

Todo poder para o Facebook quando o assunto é o que mostrar e o que não mostrar no feed de notícias de cada pessoa.

A rede social anunciou nesta quinta-feira uma série de mudanças que prometem limpar os spams do feed de notícias.

Iscas. A partir de agora, o Facebook vai punir postagens de páginas que pedem (ou praticamente imploram) para as pessoas interagirem – aquelas do estilo ‘se gostou, curte; se amou, compartilhe’.

A empresa justifica que esse tipo de publicação força uma interação além da que aconteceria normalmente. Essa prática é chama de ‘like-baiting’ – ou ‘isca para likes’. O Facebook afirma que, em média, esse tipo de conteúdo é 15% menos relevante, segundo avaliações de usuários.

Repetições. As postagens de conteúdo repetido também serão patrulhadas pelo Facebook, que justifica essa mudança dizendo que as pessoas tendem a considerar essas republicações menos relevantes. Testes iniciais mostraram que, com esse filtro, os usuários tendem a esconder o conteúdo publicado pelas páginas 10% menos vezes.

‘Spammy links’. Postagens confusas que tentam forçar o leitor a clicar no link para entender do que se trata também serão punidas. O Facebook chama essa prática de ‘spammy links’. Segundo a empresa, são links que levam para páginas de anúncios ou assuntos repetidos. A partir da análise de com qual frequência quem clica em um link também curte ou compartilha a postagem no Facebook, a empresa diz que consegue detectar quais postagens são ‘spammy links’ ou não.

'like-baiting'

As mudanças anunciadas com certeza obrigarão parte dos administradores de páginas a mudar suas estratégias de mídia social. Segundo o Facebook, a maioria das páginas não pratica ‘feed spam’ e, por isso, não serão afetadas pela mudança e podem até observar um ‘pequeno crescimento na distribuição no feed de notícias’.

Muitas empresas e marcas têm reclamado que o alcance orgânico de suas postagens (quando o Facebook mostra o conteúdo ‘naturalmente’ para as pessoas que curtem a página) caiu fortemente. Um levantamento da agência Social@Ogilvy concluiu, após a análise de 106 páginas de grandes marcas, que o alcance orgânico das publicações caiu de 12,05% em outubro de 2013 para 6,15% em fevereiro deste ano. De acordo com o autor do estudo, chegará o dia em que o alcance orgânico será zero e todas as páginas terão que pagar para mostrar seu conteúdo no feed de notícias de quem usa o Facebook.

Uma reportagem da Adweek publicada nesta semana mostra que, enquanto o alcance orgânico cai, o custo para anunciar no Facebook cresceu 10% entre o último trimestre de 2013 e o primeiro de 2014.

Tudo o que sabemos sobre:

Facebookpublicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.