As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Grupo hacker já ameaçava atacar site do governo no Twitter

Nayara Fraga

22 de junho de 2011 | 11h38

Os simpatizantes brasileiros do LulzSec, grupo de hackers responsável por invadir sites do governo dos Estados Unidos e de grandes empresas, começaram a agir no País — escolhendo logo os sites brasil.gov.br, presidencia.gov.br e receita.fazenda.gov.br. O Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) detectou o ataque nesta madrugada, entre 0h30 e 3h, e bloqueou todas as ações dos hackers, o que levou ao congestionamento das redes e deixou os sites indisponíveis durante cerca de uma hora. A invasão foi contida e dados e informações estão preservados, segundo o Serpro. (Veja aqui.)

Chamados de LulzSecBrazil, os hackers estrearam no Twitter há poucos dias e, logo nas primeiras mensagens, já ameaçavam atacar a rede do governo brasileiro quando alcançasse mil seguidores.

lulzsecbrazil.jpg

O Anonymous e o LulzSec se uniram com o objetivo de desenvolver a Operação  Anti-Segurança, que declara guerra aberta “contra todos os governos, bancos e grandes corporações do mundo”.

O LulzSec já invadiu sistemas do Senado americano, da CIA, do FBI, da Nintendo e da Sony Pictures. E o Anonymous, além de supostamente invadir a rede de jogos online da PlayStation (a qual ficou suspensa por um mês), também estaria envolvido em ataques a redes dos bancos BBVA e Bankia, do grupo italiano de energia Enel e de vários governos, como Egito, Argélia, Líbia, Irã, Chile, Colômbia e Nova Zelândia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.