Cooperativas: crédito mais barato e participação nos lucros

Regina Pitoscia

17 de maio de 2019 | 00h47

 

A instalação de uma agência em plena avenida Paulista não deixa de ser emblemática para uma cooperativa. Mais do que estar próxima e dar acesso ao grande público, a estratégia demonstra que a concorrência agora é de igual para igual, com oferta de produtos e serviços como a de um banco tradicional. E, importante, com a vantagem de conceder crédito mais barato e dividir seus resultados com os associados.

A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, uma das cooperativas que fazem parte do Sistema Sicredi, não por acaso, além da avenida Paulista se posicionou também em outro grande centro financeiro da cidade, na Faria Lima. A cooperativa, que é a 4ª do grupo e a 10ª maior do País, conta com mais de 121 mil associados e 71 agências espalhadas em 51 cidades do Paraná e São Paulo. Em 15 das localidades em que opera, nas mais remotas, é a única instituição financeira existente.

A legislação que deu mais liberdade para a atuação das cooperativas, a Lei Complementar 130, está completando 10 anos. Até então, a atuação era bem engessada tanto em termos de clientela como de produtos financeiros. Era basicamente crédito para fomentar o crescimento de determinada atividade e atender as necessidades financeiras de seus associados, a um custo mais baixo.

Um detalhe relevante, porque o modelo de negócio sempre conseguiu desempenhar um importante papel para o desenvolvimento econômico e social nas comunidades de atuação. Como o próprio setor faz questão de ressaltar, o cooperativismo é uma filosofia de vida com capacidade de gerar melhores oportunidades para todos.

Inicialmente, as cooperativas estiveram voltadas ao crédito rural e segundo alguns registros, no Brasil a primeira associação data de 1902, atuando na cidade de Nova Petrópolis, no Rio Grande do Sul, onde não havia nenhuma instituição financeira. Essa cooperativa opera até hoje e também faz parte do Sistema Sicredi, a Sicredi Pioneira.

Estima-se que atualmente existam cerca de 7 mil cooperativas em todo País com mais de 13 milhões de associados. E não mais só destinadas às atividades rurais, mas também à saúde, habitação, educação, ao trabalho, ao consumo, ao turismo, lazer e a outros setores da economia.

Portanto, não faz muito tempo que as cooperativas deixaram de ser exclusivamente voltadas ao crédito rural ou a determinado setor para ampliar seus serviços, passando a trabalhar também com consórcio, cartão de crédito, aplicações em fundos em planos de previdência, financiamento imobiliário, operações de câmbio e por aí vai. Hoje, o Sistema Sicredi conta com mais de 300 soluções financeiras em suas prateleiras para os clientes.

O interessado paga uma taxa de adesão, que pode variar, mas é simbólica na Sicredi Vale do Piquiri, de R$ 5 a R$ 20 reais, para ter acesso a todos os serviços. Na verdade, mais do que isso, porque na prática ele estará comprando uma cota da cooperativa para participar dos resultados financeiros da instituição.

A divisão desses resultados a cada associado não é feita pelo número de cotas de cada um, mas sim pelo volume de transações que ele realizou com a instituição durante o ano. Quanto maior ele for, maior a participação.

O retorno positivo obtido pela associação, que poderia ser chamado de lucro, é batizado de “sobra” no jargão das cooperativas. Esse rendimento, na maioria dos casos, vai sendo capitalizado em nome do participante e pode ser retirado em três situações: quando ele sai do sistema, chega aos 65 anos, em casos de doenças graves. O dinheiro é remunerado em até 100% da taxa Selic que, atualmente, está em 6,5% ao ano.

No ano passado, a Sicredi Vale do Piquiri alcançou um resultado em suas operações de R$ 55,4 milhões. Desse total, mais de R$ 20 milhões voltaram para os associados em forma de juros aplicados ao capital da cooperativa e de “sobras” distribuídas.

Um diferencial importante na relação entre uma instituição financeira e seus clientes na opinião de Moacir Niehues, diretor-executivo da Sicredi Vale do Piquiri. “Enquanto em um banco o lucro será distribuído entre os acionistas, na cooperativa, ele volta para seus clientes que também são seus associados”, diz ele.

Niehues fala do sucesso do modelo de cooperativa em todo o mundo e do seu potencial de crescimento no mercado doméstico. “Na Irlanda 74% da população é cooperada, no Canadá, 47%, nos Estados Unidos, 30%, na Alemanha, 22% e no Brasil, menos de 5%”.

É importante saber também que em casos de prejuízos da cooperativa, eles serão igualmente rateados entre os participantes.

Na prática

As taxas praticadas no crédito à pessoa física pela Sicredi Vale do Piquiri são inferiores às da média de mercado, especialmente no crédito pessoal.

                                         Crédito mais barato (ao mês)

                                                 Sicredi                           Média de Mercado

Crédito pessoal                      2,57%                                    6,26%

Cheque especial                   10,45%                                  12,54%

Aquisição/veículos                 1,49%                                    1,65%

Fonte: Sicredi

A cooperativa também oferece opções de investimentos, como papeis e fundos de renda fixa, planos de previdência complementar. Alguns de seus fundos, renda fixa, renda variável e de previdência, têm apresentado rentabilidade diferenciada em um mercado de juros baixos. A seguir o desempenho deles nos últimos 12 meses.

Fundo                               Rentabilidade(*)                  Valor mín. aplic.

  1. Fixa Inflação                          14,82%                                     R$ 10 mil
  2. Fixa Performance                   5,90%                                     R$   5 mil
  3. Fixa Executive                         5,98%                                     R$   5 mil
  4. Ibovespa                                  11,59%                                     R$   500,00
  5. Petrobrás                                20,37%                                     R$  200,00
  6. Prev. Inflação                         12,83%                                              –
  7. Prev. Reserva                           6,14%                                               –
  8. Prev. Valor Comp.                   7,98%                                              –

(*) Rentabilidade bruta, sem desconto do IR

Fonte: Sicredi 

Tendências: