Onde está o rendimento mais alto na renda fixa

Regina Pitoscia

21 de junho de 2019 | 00h15

A taxa de juro básica da economia, a Selic, foi mantida em 6,50% ao ano pelo Banco Central e vai ficar nesse nível, pelo menos, até o dia 31 de julho. Com isso, o rendimento da renda fixa também vai continuar na mesmice, com a caderneta de poupança rendendo 0,3715% ao mês ou 4,55% ao ano. A remuneração mensal tanto dos papeis como dos fundos de renda fixa também vai permanecer na faixa entre 0,40% e 0,50%.

Alguns títulos de renda fixa, no entanto, estão oferecendo uma rentabilidade bem acima desses patamares. Geralmente são emitidos por bancos e financeiras que operam por meio de suas plataformas digitais, não contam com redes de agência, que facilitariam a captação, e por isso tentam atrair o investidor com rendimento mais alto. Em tese, também são instituições menos tradicionais, com um grau de risco maior do que os grandes bancos, e com um retorno mais encorpado estariam, então, compensando essa condição.

Mas nem por isso, o aplicador deve desprezar as opções mais rentáveis do mercado. Afinal, que as aplicações em títulos privados de renda fixa contam com a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), a mesma que é proporcionada pela caderneta: em caso de quebra da instituição que emitiu o papel, esse fundo devolve até R$ 250 mil para cada aplicador e por banco emissor, num total de até R$ 1 milhão. No caso, a diversificação dos papeis também ajuda a reduzir a margem de risco.

Pesquisa semanal

Para ajudar na garimpagem desses títulos, este blog vai publicar a cada semana títulos que estão pagando mais do que a caderneta e a média de mercado, desde que o dinheiro possa ficar aplicado por períodos mais longos, a partir de um ano. Já os recursos que serão usados em prazos mais curtos, com liquide mensal, por exemplo, o mais indicado é ficar na caderneta.

Com a ajuda do buscador de investimentos Yubb (https://yubb.com.br), informaremos os papeis que são destaques em rentabilidade. Mas o investidor pode acessar diretamente o site dessa fintech e informar quanto quer aplicar e por quanto tempo. Em segundos, a plataforma pesquisa entre mais de 2 mil opções, entre Certificados de Depósito Bancário (CDBs), Recibos de Depósito Bancário (RDBs) Títulos do Tesouro, Letras de Câmbio, Letras do Crédito Imobiliário (LCI), Letras do Crédito Agrícola (LCA) e traz uma relação com os papeis disponíveis para as condições indicadas.

Não é necessário fazer nenhum cadastro para ter acesso ao serviço e às informações, como rendimento bruto, rendimento líquido, valor mínimo de aplicação, comparação com o rendimento da caderneta e com o CDI (taxa praticada entre bancos, além do banco que emitiu o papel e plataforma de investimento em que está sendo ofertado. Caso haja interesse real em aplicar, o investidor será direcionado ao portal da plataforma em que o título está disponível.

Pequeno investidor

A chegada das plataformas de investimento, as fintechs, ampliou a oferta e deu acesso a alternativas mais rentáveis a qualquer investidor. Não faz muito tempo, somente aos grandes volumes de recursos eram oferecidas as taxas de juros mais elevadas, o filé mignon do mercado. Hoje, qualquer quantia pode obter uma remuneração interessante.

Basta dizer que o Banco Sofisa remunera depósitos a partir de R$ 1,00 (isso mesmo, um real) com uma taxa alta: bruta de 6,40% e líquida de 5,27% ao ano. Ou seja, mesmo o dinheiro mais picado tem condições de receber uma remuneração 16% superior à da caderneta.

Com o buscador Yubb não só há maior transparência nas ofertas do mercado como o acesso do pequeno investidor é facilitado. Nesta quinta-feira, dia 20, para valores a partir de R$ 1 mil, a Yubb indicava como melhor remuneração a oferecida por uma Letra de Câmbio, emitida pela BRK Financeira e negociada pela plataforma da Ourinvest, com uma remuneração líquida de 7,42% ao ano, pelo período de dois anos. Isso é 63% maior que os 4,55% ao ano pagos pela caderneta.

Também pelo prazo de dois anos, um título do governo, um Tesouro IPCA 2050 pagava uma remuneração líquida ao ano de 6,54%, pela plataforma da Rico Investimentos. Um desempenho 44% acima do da poupança.

A seguir, acompanhe alguns destaques de papeis em termos de rentabilidade. O retorno líquido ao investidor, depois do desconto do imposto de renda e eventuais taxas, supera e bem o da caderneta de poupança.

Melhor rendimento – Renda fixa

Emissor/tipo                 Plataforma     Prazo (meses)     Valor mín. (R$)      Rend.líq a.a.

Bco Máxima/CDB              Easynvest                 23                               1 mil                             7,42%

Tesouro IPCA 2050*         Rico Inv.                    24                               35,14                            6,64%

Facta Finan./LC                 Daycoval                    12                              10 mil                            6,50%

Tesouro IPCA 2035*         Rico Inv.                    12                               35,14                             6,39%

Bco Máxima/CDB              Órama                        12                               5 mil                             6,28%

BRK Financ./LC                 Ourinvest                  12                               1 mil                              6,22%

Sorocred/LC                       Ourinvest                   12                               1 mil                              6,17%

Caruana Fin/LC                 Nova Futura              12                               1 mil                              6,17%

(*) Títulos emitidos pelo Tesouro Nacional

Fonte: Yubb