Ouro pode continuar brilhando em 2019. Veja como aplicar

Regina Pitoscia

23 de janeiro de 2019 | 00h58

(*) Com Tom Morooka

O ouro fechou 2018 na dianteira no ranking de melhor rentabilidade entre os investimentos, com valorização de 16,93%. E há algumas razões que levam especialistas a apostar na reprise desse bom desempenho em 2019.

Antes de mais nada, é preciso lembrar que o dólar é hoje o principal fator de formação da cotação do ouro doméstico. O preço do grama do metal em reais é obtido dividindo-se a cotação do ouro no mercado internacional por 31,106 gramas, que equivale a uma onça-troy, e multiplicando-se o resultado pela cotação do dólar comercial.

No fechamento de ontem, quando a onça-troy (31,106 gramas) estava valendo cerca de US$ 1.284,58 no exterior e o dólar comercial R$ 3,80, chegava-se por esse cálculo a uma cotação do grama, no mercado doméstico, em torno de R$ 156,00.

O gerente de operações de ouro do Banco Paulista, Edson Magalhães, explica que o avanço do dólar no mercado doméstico, por causa de incertezas político-econômicas, deu gás também à valorização do ouro, no ano passado, ainda que o metal tenha acumulado queda no exterior.

O ouro tende a continuar como bom investimento neste ano, com valorização entre 15% e 20%, projeta Magalhães, tanto pelo cenário externo quanto pelo doméstico.

Embora tenha subido ontem e ultrapassado os R$ 3,80, com a frustração em relação ao discurso do presidente Bolsonaro em Davos e incertezas com o crescimento da economia mundial, o dólar parece ainda mais inclinado à baixa, refletindo a expectativa positiva dos investidores com as reformas econômicas, principalmente a da Previdência Social.

Mantida essa perspectiva otimista, do sentimento de certa facilidade de aprovação das mudanças previdenciárias, o dólar poderia descer para níveis mais baixos, até R$ 3,65, visto por Magalhães como piso, mas outras questões, estarão colocadas à frente do mercado. Será preciso saber quais serão as novas regras de aposentadoria e se o governo de Jair Bolsonaro terá base de apoio suficiente no Congresso para aprovar as propostas.

Um projeto de reforma previdenciária tímida em relação ao que o mercado financeiro imagina ou uma percepção de dificuldades para a aprovação das alterações previdenciárias no Congresso poderia pressionar o dólar para cima, levando o ouro junto, analisa Magalhães. Uma perspectiva que, se materializar, favoreceria o investimento em ouro.

O cenário externo carregado de incertezas também tenderia a estimular a valorização do ouro lá fora e, com ele, do grama do metal também no mercado doméstico. Além do impasse entre o presidente americano Donald Trump e o Congresso que ameaça paralisar os EUA, Magalhães aponta, como possíveis fontes de pressão, o aumento de tensão comercial no mundo, além de incertezas políticas na Europa e na Ásia, dentre outros fatores globais de instabilidade.

Outras vantagens

O gerente de câmbio da Ourominas DTVM (Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários), Mauriciano Cavalcante, também aposta no bom desempenho do ouro neste ano. Ele sugere a compra de ouro como estratégia de diversificação de investimento, em busca de melhor rentabilidade, para quem pretende distribuir e balancear seus recursos entre a renda fixa e a renda variável.

Além do aceno de atraente rentabilidade, o executivo aponta outras vantagens dessa modalidade de investimento. “O ouro é uma reserva de valor, livre das flutuações inflacionárias do papel-moeda e das bruscas oscilações do mercado de ações. É um ativo financeiro aceito internacionalmente, com liquidez garantida, já que o ouro pode ser vendido e convertido em dinheiro com facilidade na maior parte do mundo.”

Valor baixo

Foi-se o tempo que a aplicação em ouro exigia elevado volume de recursos. A compra de um lote padrão de 250 gramas de ouro na BM&F demanda algo em torno de R$ 39 mil, mas há outras opções, como o chamado mercado de balcão ou de varejo, em que é possível investir em ouro com muito menos.

Nesse mercado, em que atuam distribuidoras de valores e alguns bancos, é possível comprar ouro a partir de 5 gramas por cerca de R$ 780, com base na cotação de R$ 156 o grama de ontem. Com R$ 1.560, uma barrinha de 10g, com R$ 3.120, uma de 20g e com R$ 7.800, uma de 50g.

O valor mais baixo do investimento vem facilitar o acesso de investidores de menor cacife por ouro, em uma procura crescente, segundo especialistas. “É possível começar com um grama, com valor estimado de R$ 156, em média”, afirma o diretor de câmbio da Ourominas.

As lojas do mercado de balcão mais conhecidas para a compra de ouro têm, além da Ourominas e do Banco Paulista, a Carol DTVM, a D’Gold DTVM e a Parmetal DTVM, dentre outras. São instituições que negociam o metal com garantia de recompra, o que facilita a vida do investidor que tiver de vender para transformar o ouro rapidamente em dinheiro.

Quem compra o ouro nesses locais, que em geral não oferecem serviço de custódia ou guarda, precisa levar a barrinha do metal para casa. O Banco Paulista entrega o ouro em domicílio do comprador.

Outra vantagem dos negócios com ouro no mercado de balcão é a cobrança de um spread estreito – a diferença entre o preço de compra e o de venda. A cotação de venda da loja é sempre mais elevada que o valor que o investidor recebe ao vender o metal.

Ouro no cartão

A Ourominas inovou com a ajuda da tecnologia e criou um cartão prático para a compra e a venda de ouro. O investidor faz seu cadastro no aplicativo Star Gold, transfere o valor que quiser em reais para a conta aberta e o valor depositado passa a compor o saldo de um cartão, o Star Gold, de bandeira Visa, que pode ser usado também como cartão comum.

Ao transferir, por exemplo, R$ 5 mil, pelo aplicativo para sua conta, aparecerá esse valor em reais como saldo em seu extrato. Se quiser, poderá usar o valor desse saldo para comprar ouro.

Caso compre 10g ou o equivalente a R$ 1.560, em seu extrato aparecerá um saldo de R$ 3.440, em reais, e 10g em ouro. Na hipótese de que o saldo em reais do cartão fique zerado, o investidor poderá vender pelo aplicativo a quantidade de gramas de ouro que precisar de seu saldo e o valor correspondente a reais aparecerá instantaneamente em seu saldo.

 

Tendências: