Cidade submarina projetada no Japão pode abrigar 5 mil moradores
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cidade submarina projetada no Japão pode abrigar 5 mil moradores

Economia & Negócios

20 de novembro de 2014 | 15h08

Projeto arquitetônico de cidade submarina: alternativa para 2030 (Foto: AFP)

Projeto arquitetônico de cidade submarina: alternativa para 2030 (Foto: AFP)

Uma empresa de construção japonesa diz que, no futuro, os seres humanos podem viver em grandes complexos habitacionais submarinos.

Pelo projeto, cerca de 5 mil pessoas poderiam viver e trabalhar em modernas vesões da cidade perdida da Atlântida.

As construções teriam hotéis, espaços residenciais e conjuntos comerciais, informou o site Busines Insider.

A grande globo que flutua na superfície do mar, mas pode ser submerso em mau tempo, seria o centro de uma estrutura espiral gigantesca que mergulha a profundidades de até 4 mil metros.

A espiral formaria um caminho 15 quilômetros de um edifício até o fundo do oceano, o que poderia servir como uma fábrica para aproveitar recursos como metais e terras raras.

Os visionários da construtora Shimizu dizem que seria possível usar micro-organismos para converter dióxido de carbono capturado na superfície em metano.

Projeto arquitetônico de cidade submarina: alternativa para 2030 (Foto: AFP)

Projeto arquitetônico de cidade submarina: alternativa para 2030 (Foto: AFP)

Energia. O conceito foi desenvolvido em conjunto com várias organizações, incluindo a Universidade de Tóquio e a agência japonesa de ciência e tecnologia.

A grande diferença de temperaturas da água entre o topo e o fundo do mar poderia ser usada para gerar energia.

A construtora Shimizu diz que a cidade submarina custaria cerca de três trilhões de ienes (ou US$ 25 bilhões), e toda a tecnologia poderia estar disponível em 2030.

A empresa já projetou uma metrópole flutuante e um anel de energia solar ao redor da lua.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Atlântida