Elevador sem cabos promete revolução na mobilidade urbana
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Elevador sem cabos promete revolução na mobilidade urbana

Projeto da empresa alemã Thyssenkrupp torna possível a redução do espaço de elevadores nos edifícios em até 50%, com o uso de levitação magnética no lugar de cabos de aço

Economia & Negócios

27 de novembro de 2014 | 12h01

 

Projeto da ThyssenKrupp: elevador sem cabos revoluciona a construção (Foto: EFE)

Projeto da ThyssenKrupp: elevador sem cabos revoluciona a construção (Foto: EFE)

ESSEN – A empresa alemã Thyssenkrupp apresentou nesta quinta-feira, 27, o primeiro modelo de elevador sem cabos, que utiliza tecnologia de levitação magnética para deslocar-se tanto no plano vertical como horizontal.

Segundo a empresa, o novo sistema representa uma revolução para a mobilidade urbana e para a indústria de construção.

“O primeiro sistema de elevadores sem cabos do mundo poderá permitir que o setor de construção enfrente os desafios da urbanização global”, informou a empresa.

Para a companhia, “a era dos elevadores com cabos chegou ao fim, 160
anos após sua invenção”.

A empresa introduziu motores lineares em cabines de elevador e, assim, transformou o transporte convencional de elevadores em sistemas de metrô verticais.

A tecnologia de elevadores denominada ‘Multi’ aumenta a capacidade e a eficiência de transporte, ao mesmo tempo em que reduz a área dos elevadores e as cargas de pico da fonte de alimentação dos edifícios.

A presença de várias cabines no mesmo poço, que se movimentam em sentido vertical,
permitirá que os edifícios adotem diferentes alturas, formatos e finalidades, acrescentou a companhia.

O design do sistema é capaz de incorporar várias cabines de elevadores autopropulsadas no mesmo poço, girando em círculos, o que aumenta a capacidade de transporte em 50% e torna possível a redução do espaço de elevadores nos
edifícios em até 50%.

O design dos edifícios não será mais limitado pela altura ou pelo alinhamento vertical dos poços de elevadores, segundo a companhia. Isso gera possibilidades que pareciam impossíveis aos arquitetos e desenvolvedores de edifícios.

“À medida que a natureza das construções de edifícios evolui, é necessário adaptar os sistemas de elevadores para melhor atender às necessidades dos edifícios e o grande volume de passageiros”, afirmou Andreas Schierenbeck, diretor geral da ThyssenKrupp Elevator AG.

Leia também:

Elevador mais rápido do mundo faz 72 quilômetros por hora

 Prédio mais alto da China tem elevador mais rápido do mundo

Prédio mais alto do mundo fica sem elevador

Tudo o que sabemos sobre:

ElevadoresThyssenkrupp

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.