Empresa cria carro que pode ser impresso em 3D
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Empresa cria carro que pode ser impresso em 3D

Cley Scholz

08 de outubro de 2014 | 10h44

Strati, primeiro carro impresso em 3D (Foto: divulgação)

Strati, primeiro carro impresso em 3D (Foto: divulgação)

Uma empresa com sede no Arizona, nos Estados Unidos, acaba de apresentar o primeiro automóvel que pode ser produzido em casa, com ajuda de uma impressora 3D.

O carro batizado de Strati levou alguns anos para ser concebido, mas no Salão Internacional de Tecnologia, em Chicago, ele foi impresso e montado em apenas dois dias.

Quase tudo no veículo foi feito com material plástico e mistura de fibra de carbono de secagem rápida. Ele tem menos de 50 partes, cuja montagem demanda bem mais tempo do que a impressão.

O modo de fabricação do Strati foi considerado importante pela sua força disruptiva na indústria automobilística, ou seja, a sua capacidade de revolucionar os modos de produção conhecidos até hoje. “O impacto mais significativo do Strati é que ele desafia o status quo da indústria automotiva”, disse Alex Chausovsky , analista de indústria da IHS, em entrevista à BBC.

“O carro mostra que não é mais necessário usar dezenas de milhares de peças com linhas de montagem sofisticados e caras”, acrescentou o especialista

Justin Fishkin, executivo da Local Motors, que criou o carro 3D, disse que o invento tem potencial de diminuir drasticamente o tempo de vida de qualquer projeto de carro de passageiros, permitindo aos fabricantes a responderem com mais agilidade às tendências do mercado.

As impressoras 3D já foram usadas pelas grandes montadoras em suas experiências. Em 2013, a Ford usou uma impressora para criar um protótipo de coletor de admissão, com um custo de US$ 3 mil, quando normalmente gastaria  US$ 500 mil e bem mais tempo para desenvolver a peça usando o ferramental tradicional.

As impressoras tendem a mudar a indústria de um modo geral, já que elas mesmas continuam evoluindo. A velocidade da impressão 3-D está dobrando a cada 18 a 24 meses, e novos materiais, como aço inoxidável, alumínio, titânio e fibra de carbono deverão ganhar espaço nos processos de impressão industrial.

Strati, o primeiro carro impresso em 3D (Divulgação)

Strati, o primeiro carro impresso em 3D (Divulgação)

“Embora as implicações ambientais de impressão 3-D ainda estejam sendo estudadas, fica claro que o uso de menos materiais e aproximação dos locais de produção dos mercados são duas práticas muito amigáveis ao ambiente”, disse Chausovsky.

A impressão 3-D também reduz emissões de carbono que resultariam do transporte de produtos para as instalações de produção.

Se o primeiro carro impresso em 3-D for aprovado, no futuro os clientes poderiam entrar em uma micro-fábrica da Local Motors e escolher o modelo, a cor e outros detalhes para personalizar o seu carro. A empresa diz que planeja construir 50 micro-fábricas nos próximos cinco anos.

Tudo o que sabemos sobre:

Impressão 3D

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.