Lego enfrenta protesto do Greenpeace por causa da Shell

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lego enfrenta protesto do Greenpeace por causa da Shell

Ambientalistas usaram fantasias de Lego para chamar a atenção para a exploração de petróleo no continente gelado pela petroleira

Economia & Negócios

24 de julho de 2014 | 16h09

 

Ambientalistas protestaram contra a Shell no Chile (Foto: Efe)

SANTIAGO – Ativistas do Greenpeace fizeram um protesto em frente a uma loja de brinquedos Lego em Santiago, no Chile. Vestidos com fantasias que lembram as peças de montar da marca dinamarquesa, eles reivindicaram o fim de um acordo comercial entre a Lego e a Shell Oil.

“Não brinquem com o Ártico”, dizia uma das faixas. O protesto faz parte de uma campanha mundial em defesa do Ártico e contra as perfurações promovidas pela Shell na região.

Segundo os militantes da organização ambientalista, a Shell assinou um acordo comercial em 2012 para lançar produtos Lego com o logotipo da petroleira.

A empresa tem no mercado postos de gasolina de montar com a bandeira Shell, segundo Asún Matias, diretor do Greenpeace Chile.

“Não brinquem com o Ártico”, diz a faixa do Greenpeace (Foto: Efe)

 

Óleo derramado. O Greenpeace entregou uma carta à empresa pedindo a rescisão do contrato, enquanto ao lado de fora da empresa ativistas fantasiados de figuras de Lego carregavam cartazes com protestos contra a atuação da Shell na proespecção de petróleo no Ártico.

Eles também instalaram bonecos e equipamentos semelhantes às peças de montar imitando brocas de exploração de petróleo e simularam um derramamento de óleo. No Youtube, um vídeo do Grenpeace mostra peças de Lego compondo uma paisagem semelhante à do Ártico sendo cobertas por óleo. AFP

Tudo o que sabemos sobre:

LegoShell

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: