Relógio mais caro do mundo vale R$ 25 milhões
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Relógio mais caro do mundo vale R$ 25 milhões

'Santo Graal' dos relógios foi encomendado em 1925 pelo banqueiro americano Henry Graves Júnior

blogs

22 de outubro de 2014 | 15h53

Relógio de outo mais caro do mundo vai a leilão em Nova York (Reuters)

Relógio de outo mais caro do mundo vai a leilão em Nova York (Reuters)

SÃO PAULO – O ‘Santo Graal’ dos relógios, avaliado em mais de US$ 10 milhões (o equivalente a R$ 25 milhões), está à venda.  Trata-se de um relógio de ouro encomendado em 1925 pelo banqueiro americano Henry Graves Júnior.

O relógio considerado atualmente o mais caro do mundo foi foi confeccionado em ouro de 18 quilates com um mostrador de esmalte azul pelo relojoeiro Patek Philippe. Trata-se, segundo especialistas, do mais complexo relógio já produzido sem a utilização de tecnologia informática. O leilão deve ocorrer em novembro.

O banqueiro encomendou um relógio calibrado para que ele pudesse contar o tempo com base na posição exata do Sol em sua casa de Nova York. Henry Graves é considerado até hoje o maior colecionador de relógios do século 20. A entrega da encomenda só ocorreu em 1933. Especialistas classificam o relógio como um exemplo de ideal renascentista em termos de beleza e artesanato associado ao apogeu da ciência.

Relógio de outo mais caro do mundo vai a leilão em Nova York (Reuters)

Relógio de outo mais caro do mundo vai a leilão em Nova York (Reuters)

Céu noturno. O relógio tem calendário perpétuo, fases da lua, uma reserva de energia e uma réplica exata do céu noturno visto do Central Park, em Manhattan, mostrando a posição exata e a magnitude das estrelas na Via Láctea.

Tim Bourne, chefe mundial de relógios da casa de leilões Sotheby, comentou: “A lista de superlativos que podem ser ligados a este ícone do século 20 é verdadeiramente extraordinário”.

Tudo o que sabemos sobre:

Relógio

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.