Saiba se você já virou um zumbi tecnológico

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Saiba se você já virou um zumbi tecnológico

Obsessão em tirar fotos e verificar mensagens no celular a todo instante é uma febre; confira os sintomas da doença social e saiba se você já foi contaminado

Economia & Negócios

30 de janeiro de 2015 | 15h41

smartphones

Os zumbis estão na moda, graças ao sucesso do seriado ‘The Walking Dead‘. Mas a explosão dos smartphones e das redes sociais está criando uma geração de zumbis tecnológicos, como mostra a série de fotos abaixo.

A obsessão por tirar fotos e compartilhar na internet está em toda parte, a qualquer hora, independentemente do ambiente e da idade do usuário. Uma reportagem do jornal  italiano Corriere Della Sera reuniu dezenas de imagens das redes sociais para mostrar como a febre se alastrou no planeta.

Em comum, os zumbis tecnológicos exibem a cabeça inclinada e a ânsia interminável de conferir notificações e atualizações de SMS, e-mail, Whatsapp, Facebook ou Twitter. Os principais sintomas para saber se você foi contaminado pela febre são os seguintes:

* Conferir o celular quando atravessa a rua

* Ler e enviar mensagens mesmo quando dirige

* Verificar as mensagens logo que acorda, antes mesmo do café

* Dificuldade de dormir, pela necessidade de saber o que rola na internet

* Vontade de se conectar mesmo quando acompanhado de amigos

* Muitas horas de navegação na internet e pouco tempo para leituras

Confira as imagens e observe outras atitudes dos zumbis digitais:

zumbi 1

zumbi 3

zumbi 4

zumbi 5

zumbi 6

zumbi 7

zumbi 8

zumbi 10

zumbi 11

zumbi 12

zumbi 13

zumbi 14

zumbi 15

zumbi 16

zumbi 18

zumbi 19

zumbi 20

zumbi 21

zumbi 23

zumbi 22

Leia também: 

Até onde vai a iPhonemania?

Apocalipse zumbi do ‘The Walking Dead’ questiona evolução humana

Tudo o que sabemos sobre:

Smartphones

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: