Sherk pode virar colega de trabalho dos Transformers

bolha

Paulo Bilyk: "Quem está comprado em 4 ou 5 ações corre risco grande de perder tudo"

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sherk pode virar colega de trabalho dos Transformers

Hasbro corteja animação da DreamWorks e confirmação do negócio poderia unir personagens famosos das duas empresas

blogs

13 de novembro de 2014 | 16h37

Andrew Ross Sorkin e Michael J. de la Merced
THE NEW YORK TIMES

Transformers e Shrek: futuros colegas de trabalho? (Fotos; divulgação)

Transformers e Shrek: futuros colegas de trabalho? (Fotos; divulgação)

Shrek pode em breve dividir o mesmo teto com os Transformers e a turma do Meu Querido Pônei se as empresas donas desses nomes fecharem um negócio proposto.

A fabricante de brinquedos Hasbro está em fase avançada de negociação para a compra da DreamWorks Animation, ganhando assim um novo espaço para seus brinquedos nas telas do cinema, disseram na quarta feira pessoas informadas a respeito da proposta.

Caso cheguem a um acordo, este será um marco para a DreamWorks Animation. A proposta é feita mais de um mês após o estúdio ouvir a oferta de outra interessada na compra, a empresa japonesa de comunicações SoftBank.

De acordo com os termos da proposta atual, a Hasbro pagaria uma mistura de dinheiro e ações, embora o preço exato ainda não tenha sido definido, disse uma das fontes. O diretor executivo da DreamWorks Animation, Jeffrey Katzenberg, quer mais de US$ 30 por ação, um valor substancialmente maior do que o preço atual das ações no mercado.

As ações da DreamWorks Animation fecharam a quarta feira cotadas a US$ 22,37, o que confere ao estúdio um valor de mercado de US$ 1,9 bilhão. As ações da Hasbro encerraram o pregão de quarta com preço de US$ 57,47, chegando a um valor de mercado de US$ 7,2 bilhões.

Katzenberg, o magnata de Hollywood que comanda a DreamWorks Animation, deve ficar na empresa, de acordo com as fontes.

Ao cortejar o estúdio de Hollywood, a Hasbro acredita que pode encontrar um novo mercado para suas linhas de brinquedos, que incluem os Transformers, G. I. Joe e Meu Querido Pônei. A empresa, segunda maior fabricante americana de brinquedos, perdendo apenas para a Mattel, apresentou vendas robustas nos anos mais recentes. No mês passado, a empresa informou que as vendas do terceiro trimestre chegaram a US$ 1,47 bilhão, um aumento de 7% ante o mesmo período do ano anterior.
O diretor executivo da Hasbro, Brian Goldner, há muito busca aproveitar a propriedade da empresa e transformá-la numa titã do entretenimento global, principalmente ao criar seu próprio estúdio em 2009 para desenvolver e produzir programas de televisão e filmes.

Um modelo a ser seguido pode ser o Lego Group, empresa dinamarquesa de capital privado. A Lego começou com seus conhecidos tijolos de plástico e se transformou numa empresa de entretenimento muito maior ao criar títulos Lego para videogames e construir sete parques temáticos Legoland.

Sua mais recente iniciativa foi uma colaboração com a Warner Bros., Lego – O Filme, que teve receita mundial de US$ 468,1 milhões. Há três sequências em fase de produção.
Alguns dos esforços da Hasbro tiveram sucesso. Os quatro filmes da série Transformers, feitos em parceria com a Paramount Pictures, tiveram bilheteria conjunta de quase US$ 3,8 bilhões. E a Universal acaba de conseguir um grande sucesso com o filme de horror Ouija, adaptação de um clássico jogo de tabuleiro da Hasbro. O filme teve custo de US$ 5 milhões e já teve renda de US$ 57,9 milhões.
Mas a parceria de quatro anos da Hasbro com a Discovery Communications para criar um canal infantil de tv a cabo, aHub Network, chegou ao fim em outubro quando a Discovery assumiu participação majoritária e rebatizou o canal como Discovery Family.

A Hasbro também teve alguns fracassos no cinema, especialmente o título Battleship – Batalha dos Mares, em 2012.

Ao comprar a DreamWorks Animation, a Hasbro, com sede em Pawtucket, Rhode Island, consolidaria uma parceria com o menor estúdio de cinema de Hollywood. A DreamWorks Animation produz apenas um punhado de filmes por ano, mas é responsável por sucessos como as séries Shrek e Kung Fu Panda. A empresa nasceu da DreamWorks Studios em 2004, empresa de capital fechado.

O estúdio passou por dificuldades nos anos mais recentes, com filmes como Turbo e A Origem dos Guardiões ficando bem abaixo das expectativas. Até o sucesso mais recente, Como Treinar o seu Dragão 2, sofreu com bilheterias mais baixas do que o antecessor. Partir de um material com o qual as crianças já tenham familiaridade – como os brinquedos da Hasbro – daria ao estúdio uma vantagem ao atrair o interesse por um filme do tipo.

A recente sequência de infortúnios da DreamWorks Animation contribuiu para dois trimestres seguidos de perdas, incluindo prejuízo de US$ 15,4 milhões no trimestre encerrado no dia 30 de junho. Mas, no trimestre mais recente, a empresa teve renda líquida de US$ 11,9 milhões, aumento de 17% ante o resultado do mesmo período do ano anterior. Em relação ao auge observado no início de 2010, as ações da empresa tiveram desvalorização de 49%.

Mas os analistas disseram que a DreamWorks Animation ainda possui um tesouro de conteúdo lucrativo em seu acervo. E a empresa tem explorado oportunidades na produção voltada para a tv e uma série de outras iniciativas de negócios, desde um centro de entretenimento em Xangai a mini-parques temáticos cobertos na Rússia.

O estúdio também é dono do Awesomeness TV, canal do YouTube voltado para meninas adolescentes. As negociações entre Hasbro e DreamWorks Animation tinham sido reveladas anteriormente pela publicaçãodeadline.com, especializada no setor./Tradução de Augusto Calil

Tudo o que sabemos sobre:

DreamWorksHasbroShrekTransformers

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: