‘Torre do pepino’ será vendida para pagar dívidas de proprietário

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Torre do pepino’ será vendida para pagar dívidas de proprietário

Prédio chama a atenção na paisagem londrina por suas formas arredondadas e desperta interesse de investidores imobiliários

Economia & Negócios

29 de julho de 2014 | 12h16

 

‘Torre do Pepino’, em Londres (Foto: EFE)

LONDRES – Um arranha-céu em forma de pepino no centro de Londres foi posto à venda nesta terça-feira, 29, despertando a atenção de investidores do mundo inteiro pelas características arrojadas da sua arquitetura.

O prédio de 40 andares conhecido popularmente como ‘torre do pepino’ foi oferecido ao mercado pelas empresas Savills e Deloitte Imóveis.

O motivo da venda é que um dos condôminos, a empresa alemã IVG Immobilien, entrou com pedido de falência.

O investidor Evans Randall, um dos proprietários do prédio, anunciou recentemente que estava disposto a investir mais, mas foi incapaz de chegar a um novo acordo financeiro com a IVG.

Os agentes imobiliários envolvidos na oferta disseram que a torre, cujo perfil arredondado se tornou uma característica do horizonte de Londres nos últimos dez anos, poderia buscar US$ 1 bilhão para fechar as contas.

Jamie Olley, chefe da área de investimentos da Deloitte, classifica a torre Gherkin de “a mais emblemática torre de escritórios no horizonte de Londres”.

“Estamos confiantes de que poderemos maximizar o retorno ao receptores e credores”, afirmou ele.

Projetada pelo arquiteto Norman Foster e localizada na área financeira de Londres, a torre abriga cerca de 20 empresas, incluindo a resseguradora Swiss. Reuters

Tudo o que sabemos sobre:

LondresPepino

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: