Queda do juro terá pouco efeito no crediário

Denise Juliani

20 de janeiro de 2009 | 21h53

A queda dos juros, que deve ser anunciada nesta quarta-feira pelo Comitê de Política Monetária (Copom), provavelmente de 0,75 ponto porcentual como projeta o mercado, levando a Selic a 13% ao ano, terá efeito muito pequeno no bolso do consumidor.
Reportagem da edição desta quarta-feira do Jornal da Tarde mostra, a partir de uma simulação feita pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), que, na média, a taxa mensal para pessoa física e jurídica recuará apenas 0,06 ponto porcentual.
Na prática, o consumidor que fizer um crediário para comprar uma geladeira de R$ 1,5 mil em 12 parcelas terá uma redução de apenas R$ 0,59 em cada prestação, ou R$ 7,08 no total do produto. Valores considerados irrisórios diante do acréscimo dos juros. Ao final dos 12 meses, a geladeira, de R$ 1,5 mil, custará R$ 2.175,36. No cheque especial, o efeito é imperceptível. Quem ficar R$ 1 mil no vermelho durante 20 dias, agora terá um alívio de R$ 0,40. Em vez de R$ 52,73 de juros, ele pagará R$ 52,33 pelo período.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.