CDB de 1% ao mês pode gerar ganho 3 vezes maior para o investidor

Sílvio Guedes Crespo

10 Julho 2018 | 11h39

Você já recebeu alguma proposta de investir em um CDB que rende 1% ao mês? Pois é, esses papéis podem gerar um ganho real três vezes maior do que os CDBs dos grandes bancos. Neste artigo vou falar dos ganhos desses papéis, mas é preciso conhecer também os riscos, que você pode conferir aqui.

Então vamos lá. Investindo R$ 10 mil em um CDB prefixado que pague 1% ao mês, você tem um retorno líquido de R$ 6.942, em um prazo de cinco anos. Esses papéis em geral estão em bancos médios ou pequenos e você pode investir neles por meio de corretoras.

Já os CDBs dos grandes bancos pagam em média 0,61%, conforme um levantamento realizado pelo buscador de investimento Yubb para o Estadão.

Aplicando R$ 10 mil em um CDB com rentabilidade de 0,61%, o retorno líquido em cinco anos será de R$ 3.743. Nas duas contas já descontei o Imposto de Renda.

Só que, além do IR, temos que descontar também a inflação, para poder saber qual seria o ganho real desse investimento.

Considerando uma inflação de 4% ao ano, o ganho real de um CDB que paga 1% ao mês fica em R$ 3.925, para uma aplicação de 5 anos. Já em um CDB com rendimento de 0,61%, que é a média dos grandes bancos, o ganho real é de R$ 1.296.

Assim, em termos reais (descontada a inflação e o IR), o ganho acaba ficando três vezes maior em um CDB que pague 1% ao mês.

Além dos riscos, é preciso ter atenção também a mais uma coisa. Esses dados consideram um CDB que pague 1% ao mês e que só paga os juros na data de vencimento. Isso gera o efeito “juros sobre juros”, permitindo essas rentabilidades mostradas neste artigo. Mas se você investir em um CDB que pague os juros mensalmente, o que não é comum, e que não tem o efeito “juros sobre juros”, o rendimento será menor.