Executivos que foram ao exterior querem voltar

Fernando Scheller

26 de julho de 2010 | 18h09

Quando se escolhe fazer carreira no exterior, como decidir a melhor a hora para voltar? Segundo um executivo brasileiro que trabalha em um grande banco em Londres, agora seria uma boa hora. A economia mostra sinais muito mais positivos que nos países desenvolvidos e a vantagem cambial do passado já se dissipou.

Não cito seu nome, porque ele ainda tem um emprego na Inglaterra – conseguiu passar incólume pela crise econômica, que em 2008 causou uma onda de demissões por lá -, mas já procura com a ajuda de uma consultoria um emprego por aqui. Com a economia aquecida, diz ele, trabalhar no Brasil se tornou um bom negócio.

Em seu círculo de amigos, não é só ele quem está olhando o Brasil com mais carinho. Além de outros colegas brasileiros por lá, ele diz conhecer profissionais portugueses e mexicanos que buscam uma nova colocação de olho nas oportunidades que surgem em terras brasileiras.

Quem entende do assunto diz que a tendência é positiva: afinal, repatriar talento bem-treinado vem em benefício do País.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.