Intuição e amizade, características das decisões à brasileira

Fernando Scheller

21 de julho de 2011 | 16h36

A Enora Leaders, empresa de formação de executivos com sede em Campinas (SP), levantou algumas das principais características do executivo brasileiro. E algumas delas mais parecem na verdade deficiências. De acordo com João Marcelo Furlan, sócio e fundador da Enora Leaders, muitos aspectos práticos são deixados de lado em favor do relacionamento e da intuição.

Para a instituição, falta profissionalismo nas relações. “As amizades não são esquecidas em momentos de avaliação ou decisão.” Apesar desse caráter “social”, falta ao brasileiro a estratégia para construir relações sólidas e de longo prazo, com ganhos para ambos os lados. “O brasileiro busca o ganho imediato.” 

Outro entrave para a tomada de decisões para ser a falta de habilidade analítica dos líderes. “Há pouco uso de metodologias para solucionar problemas, o brasileiro se utiliza de intuição. (Isso) pode ser muito ruim ao lidar com empresas e executivos extremamente analíticos, como coreanos e japoneses, que são grandes investidores no Brasil”.

E você, concorda com a avaliação da Enora Leaders sobre as características (gerais) do executivo brasileiro. Ou acha que a história não é bem assim? Dê sua opinião.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.