carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Quando a empresa vira sobrenome

Fernando Scheller

20 de dezembro de 2010 | 16h23

Em conversas com especialistas em RH na semana passada, Jaqueline Weigel, especialista em treinamento e proprietária da Weigel Coaching, chamou a atenção para uma realidade do mercado de trabalho: as pessoas que adicionam a empresa a seu sobrenome. Especialmente em casos de longa permanência em um só emprego, a companhia pode ser adicionada à identidade do profissional.

De repente, só faz sentido ser o “fulano de tal”, da “empresa x”. Para Jaqueline, essa questão que parece corriqueira deve ser vista com cuidado. Isso porque, especialmente na hora da aposentadoria, de repente a pessoa pode se ver perdida, como se faltasse parte do seu “eu”. Para Jaqueline, é algo a ser trabalhado aos poucos, enquanto o profissional ainda está na ativa.

E você? É muito apegado ao “sobrenome profissional”? O seu emprego é só trabalho ou faz parte da sua identidade? Já sofreu com isso? Escreva para a gente.

Tudo o que sabemos sobre:

aposentadoriacarreiraempregoidentidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: