Sobram vagas para engenheiros (até nas melhores empresas)

Fernando Scheller

20 de janeiro de 2011 | 13h05

A Chemtech, empresa que constantemente figura nos primeiros lugares das listas de melhores companhias para trabalhar no País, é basicamente uma empresa que depende de engenheiros: responsável por projetos de infraestrutura, atualmente tem 1,2 mil funcionários em sua folha de pagamento, dos quais cerca de mil engenheiros de diversas áreas. A companhia hoje contabiliza 200 vagas em aberto, entre efeitos e estagiários, e está difícil de encontrar pessoal.

Segundo Daniella Gallo, gerente geral de RH da empresa, que faz parte do grupo Siemens, é muito difícil encontrar no mercado um profissional com cinco a dez anos de experiência. Por isso, na busca de engenheiros civis, químicos, mecânicos e de materiais, entre outros, a empresa opta por ir às universidades e recrutar os melhores alunos das turmas antes mesmo que eles acabam o curso.

Cerca de 80% dos funcionários da empresa têm entre 25 e 35 anos, de acordo com a executiva. Mas há também espaço para profissionais de larga experiência (mais de 50 anos), que acabam atuando como consultores internos, realizando a verificação técnica do trabalho dos mais jovens.

Para saber mais sobre a empresa e enviar currículo, acesse: www.chemtech.com.br

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.