Você é do tipo que ‘se garante’ copiando o chefe no e-mail?

Fernando Scheller

30 de agosto de 2010 | 17h33

Se você é do tipo que gosta de copiar o chefe nas mensagens de e-mail para “se garantir” ou se livrar da responsabilidade de uma decisão que tomou, cuidado: segundo Kasper Rorsted, CEO da gigante de produtos para residências e indústrias Henkel, você pode se dar mal.

“Eu deleto os e-mails que vêm com cópia para Kasper”, disse o executivo em uma entrevista ao “The New York Times”. “É uma perda de tempo. Se alguém quer escrever para mim que escreva para mim. As pessoas normalmente me copiam nas mensagens para livrar a própria cara”, afirma.

O executivo diz que usa o e-mail cada vez menos no trabalho. “Só uso para mensagens cada vez mais curtas”, explica. Ele prefere que os recados sejam dados pessoalmente, em caso de assuntos que precisam ser discutidos de forma mais minuciosa.

Devo dizer que gostei muito da entrevista. Além dos trechos sobre a troca de e-mails e a mania que algumas pessoas têm de copiar o chefe em tudo o que fazem, justamente para colocar a culpa neles depois, Rorsted é muito sincero ao falar de sua demissão da HP e da impaciência para certas “frescuras” corporativas, como a tendência que a gente tomar as críticas de forma pessoal.

E você, o que acha de gente que copia o chefe na maioria dos e-mails? Você também concorda que falar cara a cara funciona melhor do que escrever longos e-mails?

Para ler a matéria do “NYT” completa, clique aqui 

Tudo o que sabemos sobre:

chefeeconomiaempregoetiqueta corporativa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.