Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Você pensa como empregado ou como dono?

Fernando Scheller

25 de fevereiro de 2011 | 15h30

Após falar com cinco diretores e/ou vice-presidentes de recursos humanos de grandes empresas durante essa semana, uma mensagem ficou na cabeça: afinal, será que os trabalhadores conseguem pensar na empresa onde trabalham como se fossem donos dela, em vez de meros empregados?

O pano de fundo da cultura de duas das empresas mais bem colocadas na lista de melhores para líderes da consultoria internacional Hay Group, a gigante das bebidas Ambev e a petroquímica Braskem, querem exatamente isso de seus colaboradores: atitude de proprietário.

Segundo o principal executivo de RH da Braskem, Marcelo Arantes, cada trabalhador deve ter um desafio de empresário, pensando como melhorar processos e economizar recursos dentro de sua área. “Por isso, as pessoas trabalham com autonomia, como se fosse o ‘empresário’ de sua determinada área.” A escolha dos líderes na companhia se dá por principalmente por este aspecto empreendedor, de acordo com o executivo.

A Ambev, conhecida pela competitiva remuneração variável, também pede exatamente isso de seus funcionários. O vice-presidente de gente da companhia, Sandro Bassili, afirma que desde o programa de trainees a empresa começa a desenvolver o “olho do dono” em seus funcionários. “Se o resultado é ruim, a pessoa sente isso como se o negócio fosse dela.” Por isso, afirma ele, todos perseguem as metas com mais comprometimento.

E você? Está preparado para olhar uma empresa como proprietário? Acha que isso vale a pena?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: