Black Friday atrai pequenas lojas virtuais

Black Friday atrai pequenas lojas virtuais

Claudio Marques

18 de novembro de 2013 | 08h07

Clarice Murakami, dona da Kosinia, participará do evento para divulgar a loja e atrair  clientes

Cris Olivette
A quarta edição da Black Friday está atraindo o interesse de pequenas e médias lojas virtuais, que querem marcar presença no evento programado para 29 de novembro. A iniciativa foi inspirada na grande liquidação que ocorre nos Estados Unidos, após o feriado americano do Dia de Ação de Graças. Segundo o idealizador do evento no Brasil, Pedro Eugenio, na edição deste ano os pequenos varejistas representarão cerca de 20% dos participantes. Em 2010, essa porcentagem foi de 5%.

Eugenio afirma que a primeira edição movimentou R$ 3 milhões. “Em 2012, atingimos R$ 217 milhões. Agora, para a quarta edição, nossa expectativa é de que o volume de vendas chegue a R$ 340 milhões”, estima o fundador e CEO do portal Busca Descontos.

O grande potencial da data despertou o interesse de pequenos empresários do mundo virtual. “Essa é uma grande chance para tornar os sites conhecidos e fidelizar o consumidor. Em edições anteriores, vimos pequenas lojas que chegaram a ter 60% de recompra no Natal.”

Conquistar novos clientes foi o que determinou a inscrição da Kosinia. “Vou participar da Black Friday para divulgar a loja. Meus produtos são diferenciados, acho que vender arte pela internet chama a atenção. Nas peças mais caras, vou dar pelo menos 40% de desconto”, diz a proprietária, Clarice Murakami. A empresária conta que divulgará sua participação por e-mail, no blog que mantém sobre gastronomia, no qual tem 4,6 mil fãs, além de pagar anúncios em sites e redes sociais. 

O proprietário da Shopfisio, Adrian Nucci, diz que participará da Black Friday pela segunda vez. O fisioterapeuta conta que na Sexta-feira Negra de 2012 sua participação foi mais discreta. “Mesmo assim, aumentamos em duas vezes o volume diário de vendas. Este ano seremos mais agressivos, oferecendo descontos de até 75% para cerca de 20 produtos. No total, daremos descontos variados para 300 produtos, entre os quatro mil que comercializamos.”

Para suportar a alta demanda, desde maio Nucci adotou o servidor da Amazon. “Já avisei o servidor que nesse dia teremos grande volume de pedidos. Também reforcei a equipe para atender a demanda no prazo estipulado”, diz.
Nucci lembra que o site blackfriday.com.br só estará em operação no dia 29 e deverá receber cerca de quatro milhões de visitantes. “Espero que 1% desse público, o equivalente a 400 mil pessoas, sejam redirecionadas para minha página. Estimo receber mais de dez mil pedidos. Quero fidelizar e conquistar novos clientes.”

O gerente de marketing do site MegaMamute, Willian Costa, afirma que essa é uma boa oportunidade para mostrar que as pequenas lojas também têm ótimas ofertas e produtos de qualidade. “Esta é o terceira vez que participamos. Em 2012, vendemos em um só dia o volume equivalente a dez dias. Neste ano, queremos ganhar 13 dias em um só. Ainda não fechei todas as ofertas. Acredito que teremos 250 produtos, entre eletrônicos, informática e games, com descontos entre 10% e 70%”, afirma. 

O diretor da Valejet, Marcio Haruhide Tano, conta que em 2012 as vendas cresceram 110% na comparação com uma sexta-feira normal. “Agora, esperamos aumentar as vendas em 50% em relação ao resultado alcançado no ano passado.” Para isso, ele está investindo 30% a mais na divulgação. “É

uma forma de reforçar a marca entre os 35 mil clientes que compram suprimentos para impressão em nosso site”, afirma.

O dono da NPTronics, Marco Coghi, participará do evento para divulgar o CardioEmotion, game interativo criado para gerar equilíbrio entre a frequência cardíaca e a respiração, reduzindo estresse, pressão alta, colesterol e depressão, entre outros problemas. “A ideia é fazer uma divulgação massiva para a Black Friday, incentivando as pessoas a comprarem o CardioEmotion, que proporciona melhora na qualidade de vida. O sensor que mede os batimentos cardíacos custa R$ 62 e sairá de graça na compra do software e dos jogos interativos que complementam o aparelho. O custo total é de R$ 700, que pode ser parcelado em 12 vezes.”

Parcerias buscam reforço da segurança

O idealizador da Black Friday no País, Pedro Eugenio, diz que ainda é possível participar do evento, que ocorrerá no próximo dia 29 de novembro. “Os interessados devem entrar no site blackfriday.com.br para obter informações e entrar em contato conosco.” 

Pedro Eugenio, CEO do Busca Descontos e idealizador da Black Friday

Eugenio afirma que sua equipe precisa avaliar o estágio em que o negócio está para ter certeza de que a loja está preparada. “Consideramos o volume de pedidos que a loja tem capacidade de receber, quais são os produtos que ela pretende oferecer e o valor dos descontos. Com base nesses dados, definimos se ela está pronta ou se deve aguardar mais, se planejar melhor e participar no próximo ano. Assim, ela não corre o risco de se queimar na Black Friday.”

Segundo ele, depois do próximo dia 29, quem quiser orientação para se preparar para o ano que vem deve acessar o site www.buscadescontos.com.br e mandar mensagem no fale conosco. “Essa é uma vitrine gigantesca. É uma excelente oportunidade para as pequenas lojas se promoverem a baixo custo.”

Coordenador de inteligência estatística da Clear Sale, Omar Jarouche diz que a empresa é especializada na detecção de fraudes e na redução de risco em vendas não presenciais, oferecendo autenticação nas compras online. “Por conta do serviço que oferecemos, 75% das vendas do comércio virtual passam por nós.”

Jarouche conta que após a Sexta-feira Negra de 2012 fez um levantamento e apurou que nas pequenas e médias empresas, clientes da Clear Sale, houve aumento de 80% na quantidade de pedidos em relação às semanas anteriores. “O estudo também apontou que o total de vendas no evento somou R$ 217 milhões”, afirma.

Eugenio enfatiza que neste ano o evento tem parcerias inéditas para dar mais transparência e tranquilidade para o consumidor fazer suas compras. “A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico ficou responsável pela autorregulamentação do Código de Ética. Assim, as lojas participantes se comprometem a anunciar ofertas reais durante a ação.” Ele conta, ainda, que o Instituto Sieve, especializado em inteligência de precificação, será responsável pela identificação da veracidade das ofertas. “Já o ReclameAqui oferecerá um canal exclusivo para o usuário denunciar ou reclamar sobre as ofertas”, afirma. 

O fundador da Loja Integrada, Adriano Caetano, diz que sua empresa fornece plataforma de e-commerce para mais de 30 mil clientes de pequeno porte. “Tenho orientado meus clientes a participar da Black Friday. No entanto, recomendo alguns cuidados”, ressalta.

Segundo ele, pequenas lojas não devem concorrer com as grandes redes oferecendo os mesmos produtos. Outra dica, segundo ele, é ofertar mercadorias que estejam paradas no estoque. 

“Vale a pena colocar até preço de custo para girar o capital. Outro ponto importante para conquistar espaço no mercado e fidelizar os clientes é oferecer bom atendimento e realizar ofertas reais, proporcionando boa economia para os clientes.”

 

Tudo o que sabemos sobre:

Black FridayBusca Descontos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.